Notícias

Canário-da-terra-verdadeiro: um pássaro, não um lutador de ringue

Por ser bom de briga, este canário é usado em disputas violentas entre pássaros, para apostar no vencedor. Foto: Dario Sanches

Duda Menegassi ·
27 de julho de 2012 · 12 anos atrás
Foto: Alejandro Bayer Tamayo/Flickr.

A homenagem de ((o))eco esta semana vai para o canário-da-terra-verdadeiro (Sicalis flaveola), um pássaro caracterizado pelo amarelo forte de suas penas e pelo seu canto melódico. Outrossim chamado de canário-da-terra, no Brasil, ocorre do Maranhão até o Rio Grande do Sul e, na América do Sul, é encontrado na Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai, Uruguai, Argentina e nas Guianas.

Esta ave tem em média 13,5 centímetros e pesa 20 gramas. Seu habitat preferido são as regiões áridas, como os campos secos, a Caatinga e áreas de Cerrado. Sua alimentação principal são sementes. Na reprodução, a fêmea põe cerca de 4 ovos, chocados por um período de 15 dias. Seus ninhos são cavidades ou até mesmo outros ninhos abandonados, como casas de joão-de-barro vazias.

São pássaros agressivos na hora de defender o ninho ou de disputar uma fêmea com outro macho. Por ser bom de briga, este canário é usado em disputas violentas entre pássaros, para apostar no vencedor. Essa prática bárbara e ilegal costuma deixar as aves feridas e deve ser denunciada à Polícia e ao Ibama.

A beleza e o canto também fazem com que o canário-da-terra seja comumente engaiolado, ainda que sem a licença obrigatória do IBAMA. Até agora, não corre risco de extinção, o que não torna menos cruel o seu cativeiro ou uso como animal de briga.

 

Leia Também

Cantoria da covardia nas feiras de passarinhos

Mil canários apreendidos no MS

 

 

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Salada Verde
21 de fevereiro de 2024

Exposição de fotografias do Pantanal arrecada recursos para as Brigadas Pantaneiras

A mostra “Água Pantanal Fogo” reúne 80 imagens de Lalo de Almeida e Luciano Candisani . Seis das obras vão à venda para arrecadação de fundos

Reportagens
21 de fevereiro de 2024

Sem a Fundação Zoobotânica, RS completa 10 anos sem divulgar lista de espécies ameaçadas

Sob críticas de ambientalistas e sem interessados, governo do estado insiste na concessão privada das instituições que eram coordenadas pela FZB

Notícias
21 de fevereiro de 2024

MS: lei do Pantanal entra em cena com seca histórica do Rio Paraguai

Normativa restringe atividades produtivas e protege formações naturais buscando associar desenvolvimento e conservação

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.