Notícias

Invasões

O anoni, capim de origem africana introduzido no Rio Grande do Sul em 1950, é motivo de grande preocupação nos estados do Sul. Nos pampas gaúchos, o capim já ocupa quase dois milhões de hectares. Acabou com as pastagens nativas e agora avança a passos largos em direção a Santa Catarina e Paraná. Aplicações localizadas de herbicidas ajudam, mas não resolvem. No arquipélago de Fernando de Noronha a preocupação é com outra espécie. A leguminosa Leucena leocucephala, trazida na mesma época, começa a infestar a região, que já tem problemas com a jitirana. Leguminosa trepadeira que cobre a copa das árvores, as impede de respirar e as leva à morte. A leucena preocupa os ambientalistas por ser agressiva sobre outras espécies ao intoxicar o solo com uma enzima de sua raiz. Um projeto estadual que visa a recomposição da flora nativa e a erradicação da leucena e da jitirana está previsto para o início de 2008 . A notícia é do Estado de São Paulo.

Eric Macedo ·
18 de julho de 2007 · 17 anos atrás

Leia também

Salada Verde
17 de maio de 2024

Avistar celebra os 50 anos da observação de aves no Brasil

17º Encontro Brasileiro de Observação de aves acontece este final de semana na capital paulista com rica programação para todos os públicos

Reportagens
17 de maio de 2024

Tragédia sulista é também ecológica

A enxurrada tragou imóveis, equipamentos e estradas em áreas protegidas e ampliou risco de animais e plantas serem extintos

Notícias
17 de maio de 2024

Bugios seguem morrendo devido à falta de medidas de proteção da CEEE Equatorial

Local onde animais vivem sofre com as enchentes, mas isso não afeta os primatas, que vivem nos topos das árvores. Alagamento adiará implementação de medidas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.