Notícias

Uma arara-canindé apaixonada

A homenageada desta semana não está ameaçada, mas existe a turma que ama engaiolá-las. Entretanto, o melhor amor não tem porta nem grades. Foto: Edgard Onoda

Redação ((o))eco ·
6 de setembro de 2012 · 12 anos atrás
O animal homenageado desta semana em ((o))eco é a Arara-canindé (Ara ararauna), também conhecida como arara-de-barriga-amarela, canindé, arara-amarela e ara-arauna. Trata-se da arara apaixonada de Affonso Romano de Sant’Anna, que sai da Floresta da Tijuca para se encontrar com seu amado preso na gaiola do zoológico.

Estivessem juntos, fariam seu ninho entre dezembro e maio, provavelmente no buraco do tronco de uma grande palmeira morta, uns 20 metros acima do solo. Em seu ninho, haveria 2 ovinhos que levariam entre 3 e 4 semanas para chocar. Não ficariam paradas. Logo que pudessem, buscariam outras paragens, já que migram em busca de alimento, uma dieta a base de sementes, frutas e nozes.

Além do Brasil, as Araras-Canindé habitam desde o leste do Panamá até o Paraguai. Gostam de viver em pares ou trios. Esses núcleos continuam a existir mesmo quando vários se juntam para formar bandos de até 30 indivíduos.

Apesar de não ser considerada ameaçada, há aqueles que gostam de mantê-las em gaiolas. Amam as aves, dizem. Melhor seria se este amor não tivesse grades. Foto: Edgard Onoda

 

 
 

Leia também

Salada Verde
24 de maio de 2024

Comissão da Câmara aprova projeto que aumenta pena para crime ambiental na Amazônia

Proposta também inclui penalização de servidores e agentes públicos que se omitirem diante de tais crimes. Ascema vai avaliar conteúdo do texto

Notícias
24 de maio de 2024

Desastres ambientais afetaram 418 milhões de brasileiros em 94% das cidades, diz estudo

Levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) mostra que cada brasileiro enfrentou, em média, mais de duas situações de desastre entre 2013 e 2023

Salada Verde
24 de maio de 2024

A despedida da flor-de-maio 

A bela floração dessa espécie endêmica da Mata Atlântica dura de 15 a 20 dias e ocorre somente uma vez por ano

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.