Notícias

Morfo azul: uma borboleta com banca de gigante

A homenageada por ((o))eco esta semana é morfo azul, uma das maiores borboletas do mundo, podendo medir até 20 centímetros. Foto: Thomas Bresson

Duda Menegassi ·
23 de novembro de 2012 · 9 anos atrás
A homenagem do ((o)) eco esta semana vai para a borboleta morfo azul (Morfo peleides), uma pequena com pose de gigante. Trata-se de uma das maiores borboletas do mundo, podendo medir até 20 centímetros. Como seu nome denuncia, o azul é sua característica marcante e é a cor que preenche suas asas de contornos pretos. O belo colorido das costas reflete a luz, tornando o azul ainda mais vívido.

Engana-se quem pensa que ela só vive da beleza, pois na hora de enganar os predadores fecha as asas e revela outra faceta: o lado marrom com manchas em formato de olho, que a camuflam e mantém a salvo dos pássaros e outros insetos.

A dupla face das asas da morfo azul causa um efeito estético quando voa: a impressão é de que ela aparece e desapare a cada impulso.

Pode ser encontrada no Brasil, México, Colômbia, Venezuela e Paraguai. A bela aparência talvez seja compensação para a vida curta de cerca de 115 dias. Mesmo assim, nem sempre ela aproveita todo o seu tempo, pois, mais que os predatores naturais, caçadores e colecionadores encurtam a sua já breve existência. Por enquanto, não há dados sobre o grau de ameaça em que essa distinta borboleta possa se encontrar. Foto: Thomas Bresson

 

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Notícias
15 de outubro de 2021

Justiça do México suspendeu revisão da meta climática, apresentada em 2020

Assim como o Brasil, o México revidou a meta para abaixo do estabelecido no Acordo de Paris. Greenpeace questionou na Justiça a nova NDC e ganhou

Reportagens
15 de outubro de 2021

Com acordo político, 1ª parte da Conferência da ONU sobre Biodiversidade chega ao fim na China

Mais de 100 países assinaram Declaração de Kunming, se comprometendo politicamente a preservar a biodiversidade do planeta

Reportagens
14 de outubro de 2021

Estudo amplia de 39 para 74 os modos de reprodução conhecidos dos anfíbios e cria nova classificação

Estudo propõe um novo sistema de classificação dos modos reprodutivos para toda essa classe de animais composta por anfíbios anuros (sapos, rãs e pererecas), salamandras e cecílias (cobras-cegas)

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta