Notícias

Coruja suindara: uma sábia caçadora

A homenageada por ((o))eco esta semana é coruja suindara, mais popularmente conhecida por coruja-de-igreja. Foto: Dario Sanches

Duda Menegassi ·
30 de novembro de 2012 · 9 anos atrás
Esta semana ((o))eco homenageia a coruja suindara (Tyto alba), mais popularmente conhecida por coruja-de-igreja, nome dado em razão da sua peculiar preferência por fazer seus ninhos em torres de igreja. Com 36 cm de comprimento e um peso que oscila de 470 gramas (macho) a 570 gramas (fêmea), a coruja suindara é uma exímia caçadora.

Suas penas com bordas suaves permitem um voo silencioso que ajuda a sua aproximação das presas, que são pequenos vertebrados, em especial roedores. Além da excelente audição e visão, instrumentos característicos das corujas, porém a suindara tem uma formação de crânio específica que a difere das suas companheiras.

Seu disco facial em forma de coração direciona o som direto aos seus ouvidos. Distribuída por todo Brasil e encontrada por todos os cantos do mundo, com exceção de lugares muito frios, a suindara não se encontra sob nenhum risco de extinção. Põe de 4 a 7 ovos que demoram cerca de 30 dias para eclodir.

Os filhotes aprendem a voar por volta dos 50 dias de vida e não largam dos pais até os 3 meses de idade. Os pais em questão fazem jus ao nome de corujas e têm cuidado até na hora de pisar nos ninhos, para que suas longas garras de caça não acertem uma de suas crias. Foto: Dario Sanches

 

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Salada Verde
15 de outubro de 2021

GLO ambiental não será renovada, anuncia Mourão

A operação acabou nesta sexta-feira (15). Atuação de militares não resultou em diminuição do desmatamento na Amazônia, mesmo com efetivo e orçamento maiores que dos órgãos ambientais

Notícias
15 de outubro de 2021

Justiça do México suspendeu revisão da meta climática, apresentada em 2020

Assim como o Brasil, o México revidou a meta para abaixo do estabelecido no Acordo de Paris. Greenpeace questionou na Justiça a nova NDC e ganhou

Reportagens
15 de outubro de 2021

Com acordo político, 1ª parte da Conferência da ONU sobre Biodiversidade chega ao fim na China

Mais de 100 países assinaram Declaração de Kunming, se comprometendo politicamente a preservar a biodiversidade do planeta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta