Notícias

Curió: um pássaro bem afinado

Famoso pelo canto poderoso, o homenageado por ((o))eco esta semana é o curió (Sporophila angolensis), um pássaro exclusivo das Américas. Foto: Dario Sanches

Duda Menegassi ·
7 de dezembro de 2012 · 9 anos atrás
Esta semana o homenageado do ((o))eco é o curió (Sporophila angolensis), um pássaro exclusivo das Américas, apesar do que indica erroneamente o nome científico. Encontra-se em todo o território nacional e em quase todos os outros países da América do Sul, com exceção do Uruguai e do Chile. Sua ampla distribuição não reflete sua condição atual. O curió está ameaçado de extinção em alguns estados, como Minas Gerais. Isso porque essa pequena ave, de cerca de 15 cm, tem um maravilhoso canto. Suas habilidades musicais fizeram dele o pássaro com mais criadores registrados junto ao IBAMA. Infelizmente, nem todos se dignam a atuar dentro da legalidade e o curió é também a ave mais apreendida no tráfico de animais silvestres.

Sua alimentação é composta por insetos e sementes. É uma espécie que gosta de viver sozinha ou aos pares: na época de acasalamento, que vai do final do inverno até o fim do verão, é natural encontrar o curió acompanhado. Põe 2 ovos que demoram aproximadamente 13 dias para eclodir. Quando nascem, os filhotes ficam cerca de um mês no ninho, sob cuidado dos pais, até estarem prontos para ganhar o mundo com suas asas e sua voz. Foto: Dario Sanches

 

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Notícias
15 de outubro de 2021

Justiça do México suspendeu revisão da meta climática, apresentada em 2020

Assim como o Brasil, o México revidou a meta para abaixo do estabelecido no Acordo de Paris. Greenpeace questionou na Justiça a nova NDC e ganhou

Reportagens
15 de outubro de 2021

Com acordo político, 1ª parte da Conferência da ONU sobre Biodiversidade chega ao fim na China

Mais de 100 países assinaram Declaração de Kunming, se comprometendo politicamente a preservar a biodiversidade do planeta

Reportagens
14 de outubro de 2021

Estudo amplia de 39 para 74 os modos de reprodução conhecidos dos anfíbios e cria nova classificação

Estudo propõe um novo sistema de classificação dos modos reprodutivos para toda essa classe de animais composta por anfíbios anuros (sapos, rãs e pererecas), salamandras e cecílias (cobras-cegas)

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta