Notícias

Borboleta-Coruja: presa ou predador?

A homenageada de ((o))eco dessa semana sobrevive graças à confusão que o padrão de suas belas asas cria. Foto: Cláudio Timm

Rafael Ferreira ·
12 de julho de 2013 · 8 anos atrás
Caligo brasiliensis fotografada em Santa Catarina. Maio/2010. Foto: Cláudio Timm.
Caligo brasiliensis fotografada em Santa Catarina. Maio/2010. Foto: Cláudio Timm.

Borboleta-coruja é o nome popular das borboletas pertencentes ao gênero Caligo. Na mitologia greco-romana, Caligo era a personificação das trevas, o que torna esse nome apropriado para descrever um gênero de borboletas de hábitos crepusculares: permanecem pousadas em troncos durante o dia e voam de manhã ou nas últimas horas do dia, antes do anoitecer.

São borboletas típicas de florestas úmidas e florestas secundárias do México, América Central e do Sul. Em geral, são muito grandes, um dos maiores exemplares de borboletas que se tem notícia, chegando a medir até 18 centímetros de envergadura. Em geral as fêmeas são maiores e menos coloridas que os machos.

Há cerca de 20 espécies deste gênero, que podem ser divididos em seis grupos que constituem “subgêneros”: Caligo eurilochus (que inclui C. bellerophon, C. brasiliensis, C. eurilochus, C. idomeneus, C. illioneus,C. memnon, C. prometheus, C. suzanna, C. telamonius, C. teucer ); Caligo arisbe (C. arisbe ,C. martia ,C. oberthurii); Caligo atreus (C. atreus, C. uranus); Caligo oileus (C. oedipus, C. oileus, C. placidianus, C. zeuxippus); Caligo beltrao (C. beltrao) as incertae sedis (Caligo euphorbus, Caligo superbus), cuja colocação é incerta em relação aos demais grupos.

Como a maioria das borboletas, são efêmeras: vivem aproximadamente por três meses. Mas até chegar à metamorfose completa, levam cerca de 105 dias. E como uma impressão digital: nenhum exemplar apresenta um padrão de asas exatamente igual ao outro.

Os machos tem um comportamento territorialista e, na época da cópula, perseguem as fêmeas incansavelmente. Após a cópula, a fêmea põe cerca de 50 ovos. A taxa de sobrevivência das lagartas após a eclosão dos ovos sofre em razão do grande número de predadores e parasitas como, por exemplo, as vespas da família Trichogrammatidae cujas larvas parasitam a borboleta e seus ovos.

O padrão das asas, origem do apelido borboleta-coruja, pelo lado de dentro, é um desenho semelhante ao rosto de uma coruja, com destaque para os olhos enormes e abertos. Um mistério científico: especula-se que o padrão de olho seja uma forma de mimetismo, que confunde seus predadores. Muitos animais pequenos, que caçam principalmente usando o sentido da visão, hesitam em se aproximar da borboleta, “imaginando” estar diante de um dos seus predadores naturais. Este mecanismo anti-predação protege o animal enquanto descansa, se alimenta e acasala.

As espécies mais comuns no Brasil são a Caligo beltrao e a Caligo eurilochs brasiliensis, mais comuns no leste do país. Também são encontradas aqui a Caligo martia, nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e a Caligo memnon, na Floresta Amazônica.

Leia também

Notícias
20 de outubro de 2021

INPE não tem recursos garantidos para pagamento de água e luz até final do ano

Destinação de R$ 5 milhões pela AEB deu um respiro ao Instituto, mas órgão ainda aguarda verba de outras fontes para honrar despesas de funcionamento até dezembro

Notícias
19 de outubro de 2021

Adote um Parque ganha nova fase com unidades de conservação da Caatinga

Nova etapa do programa de adoção das UCs criado por Salles terá foco em trilhas e incluirá dez áreas protegidas da Caatinga, entre elas, os parques nacionais da Chapada Diamantina e de Jericoacoara

Notícias
18 de outubro de 2021

Websérie traz o elo entre o ser humano e a natureza do Rio de Janeiro

Personagens que possuem uma conexão especial com a paisagem natural da cidade são apresentados na websérie do documentarista e fotógrafo carioca, Rafael Duarte

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta