Notícias

Entidades brasileiras discutem turismo e proteção de áreas marinhas na COP México

A pauta a ser discutida será a proteção de áreas marinhas e ameaçadas e a sua utilização para fins turísticos. Evento terá transmissão ao vivo

Sabrina Rodrigues ·
13 de dezembro de 2016 · 5 anos atrás
Tubarão cabeça-chata e mergulhadores na área marinha protegida de Playa del Carmen, México. Foto: Jorge Loria/Phantom Divers.
Tubarão cabeça-chata e mergulhadores na área marinha protegida de Playa del Carmen, México. Foto: Jorge Loria/Phantom Divers.

Nesta terça-feira (13), às 21h15, no horário de Brasília, um evento paralelo será realizado por entidades de conservação brasileiras na 13ª Cúpula das Nações Unidas para a Biodiversidade (COP 13) em Cancún, no México. A pauta será a proteção de áreas marinhas ameaçadas e a sua utilização para fins turísticos. O painel é uma iniciativa da Rede Pró Unidades de Conservação (Rede Pró UC), do Instituto Augusto Carneiro, do projeto Divers for Sharks e do Instituto Baleia Jubarte.

Dados do Ministério do Meio Ambiente dão conta de que o Brasil possui 164 áreas prioritárias marinhas, sendo que dessas, 101 estão desprovidas de Unidades de Conservação e 90 se encontram com prioridade extremamente alta para conservação da biodiversidade. O encontro brasileiro na COP 13 pretende apresentar alternativas de uso das áreas marítimas nacionais, para que possam ser protegidas e também gerar renda para o país. “Mergulho recreativo e ecoturismo, por exemplo, funcionam muito bem neste tipo de área”, afirma a diretora executiva da Rede Pró UC, Angela Kuczach.

O evento terá transmissão ao vivo e poderá ser acompanhado a partir das 21h15, desta terça-feira, em: https://www.facebook.com/diversforsharks

 

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
15 de outubro de 2021

GLO ambiental não será renovada, anuncia Mourão

A operação acabou nesta sexta-feira (15). Atuação de militares não resultou em diminuição do desmatamento na Amazônia, mesmo com efetivo e orçamento maiores que dos órgãos ambientais

Notícias
15 de outubro de 2021

Justiça do México suspendeu revisão da meta climática, apresentada em 2020

Assim como o Brasil, o México revidou a meta para abaixo do estabelecido no Acordo de Paris. Greenpeace questionou na Justiça a nova NDC e ganhou

Reportagens
15 de outubro de 2021

Com acordo político, 1ª parte da Conferência da ONU sobre Biodiversidade chega ao fim na China

Mais de 100 países assinaram Declaração de Kunming, se comprometendo politicamente a preservar a biodiversidade do planeta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta