Notícias

Estudo revela a biodiversidade de aves na Serra da Cantareira

Pesquisadores mapeiam avifauna do local cravado na região metropolitana de São Paulo e encontra 326 registros de espécies de aves, sendo 7 globalmente ameaçadas

Daniele Bragança ·
18 de julho de 2017 · 5 anos atrás
O colorido tangarazinho (Ilicura militaris) também frequenta a Serra da Cantareira. Foto: Marcos Lima.
O colorido tangarazinho (Ilicura militaris) também frequenta a Serra da Cantareira. Foto: Marcos Lima.

Quem quer começar a observar aves na grande São Paulo não precisar ir muito longe. Logo ali perto, cravado em plena metrópole, a Serra da Cantareira reúne uma diversidade de espécies comparável às encontradas em áreas protegidas na Serra do Mar. É o que mostra o levantamento feito pelo pesquisador Vinicius R. Tonetti, publicado no início de junho na revista científica Zoologia.

O estudo revela a ocorrência de 329 espécies de aves na Serra do Cantareira desde o início do século XX até os dias atuais. “É um número muito elevado para uma área urbana”, explica Tonetti, que afirma que levantamentos que mostram tamanha diversidade normalmente são feitos em área de vegetação primária. Na Cantareira ocorrem 80 espécies endêmicas do bioma Mata Atlântica.

O barbudinho (Phylloscartes eximius) é uma ave rara e ameaçada. No estado de São Paulo só é encontrada na Serra da Cantareira. Foto: Wagner Nogueira.
O barbudinho (Phylloscartes eximius) é uma ave rara e ameaçada. No estado de São Paulo só é encontrada na Serra da Cantareira. Foto: Wagner Nogueira.

Os pesquisadores compilaram estudos feitos anteriormente no local, além de incluir dados de registros em coleções ornitológicas como o Museu da USP e a base de dados em sites especializados como o Wikiaves e Xeno-Canto. A listagem foi unidas com os dados de espécies registradas pelos próprios pesquisadores em campo. O resultado encontrado foi a de que das 326 espécies registradas, sete se encontram globalmente ameaçadas de extinção, cinco estão ameaçadas no Brasil e 17 estão ameaçadas localmente no estado de São Paulo.

O artigo ainda discute os impactos que a construção e futura operação da seção norte do Rodoanel Mário Covas poderá ter sobre a biodiversidade da Serra do Cantareira, que abriga o Parque Estadual da Cantareira. A estrada passa muito próxima do parque. Os pesquisadores sugerem como medida mitigadora que fragmentos florestais próximos ao parque seja incorporado na área protegida.

“Muita gente já brigou pela ampliação do parque. O que a gente sugere que isso pode ser uma das medidas para diminuir a influência da rodovia na área protegida”, afirma o biólogo.

O ruído das estradas impacta a avifauna negativamente. Segundo os ornitólogos, o barulho pode causar mudanças no comportamento de alimentação de aves, dificultar a comunicação e gerar estresse crônico, sem contar o risco de atropelamento para os vertebrados em geral que tentam atravessar a rodovia.

Veja alguma das espécies encontradas na Serra da Cantareira:

O macuco (Tinamus solitarius) é a espécie que está sofrendo declínio populacional em várias regiões da Mata Atlântica devido à caça. Ainda é bastante abundante na Serra da Cantareira, sobretudo no Parque Estadual da Cantareira. Foto: Wilson Lucheti.
O macuco (Tinamus solitarius) é a espécie que está sofrendo declínio populacional em várias regiões da Mata Atlântica devido à caça. Ainda é bastante abundante na Serra da Cantareira, sobretudo no Parque Estadual da Cantareira. Foto: Wilson Lucheti.
O tucano (Ramphastus vitellinus) é uma espécie rara nessa região da Mata Atlântica. Ameaçada de extinção em nível global, desempenha uma função ecológica bastante importante, que é a dispersão de sementes grandes. Foto: Lindolfo Souto.
O tucano (Ramphastus vitellinus) é uma espécie rara nessa região da Mata Atlântica. Ameaçada de extinção em nível global, desempenha uma função ecológica bastante importante, que é a dispersão de sementes grandes. Foto: Lindolfo Souto.
Não existia nenhum registro do tauató-pintado (Accipter poliogaster) na região. O estudo registrou o primeiro. Foto: Ottokar Bruhmuller.
Não existia nenhum registro do tauató-pintado (Accipter poliogaster) na região. O estudo registrou o primeiro. Foto: Ottokar Bruhmuller.

 

Saiba Mais

Artigo: Historical knowledge, richness and relative representativeness of the avifauna of the largest native urban rainforest in the world.

Leia Também

Guia: as aves da Mata Atlântica

Florestas de São Paulo escapam (por enquanto) dos classificados de venda

Governo de São Paulo pretende vender áreas florestais

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Salada Verde
26 de janeiro de 2017

Governo de São Paulo pretende vender áreas florestais

Secretaria Estadual do Meio Ambiente já publicou chamamento no Diário Oficial. Objetivo é se negociar 34 áreas pertencentes ao Instituto Florestal

Notícias
27 de abril de 2017

Florestas de São Paulo escapam (por enquanto) dos classificados de venda

Ministério Público suspende o chamamento do Instituto Florestal que busca interessados em comprar áreas de florestas, estações ecológicas e hortos sob gestão do órgão

Notícias
30 de novembro de 2010

Guia: as aves da Mata Atlântica

Reserva Rio das Furnas lança obra com belas amostras da avifauna tropical brasileira em cartaz ilustrado. Veja imagem interativa.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. Jailton diz:

    o que não falta é diversidade nesse nosso brasil. vi uma materia aqui http://bichomanianet.com.br/animais-que-so-existe… e conheci bichos brasileiros que eu nem sabia que existiam!


  2. os animais sao lindos demais