Notícias

Uma chance de ver o mico-leão-dourado na natureza

Parque Ecológico Mico-Leão-Dourado será inaugurado neste sábado (14) em Silva Jardim (RJ). Quase extinto na década de 1970, espécie sobreviveu após intenso trabalho de conservação

Cristiane Prizibisczki ·
12 de maio de 2022 · 2 anos atrás

Espécie símbolo da conservação da natureza não só no Brasil, o mico-leão-dourado vai ganhar um parque totalmente dedicado a ele. A partir deste sábado (14), as portas do Parque Ecológico Mico-Leão-Dourado estarão abertas ao público, na cidade de Silva Jardim (RJ), a cerca de 130 km da cidade do Rio de Janeiro.

Todos os atrativos do parque são relacionados ao habitat do mico e às ações de conservação para salvar a espécie do risco de extinção. 

Endêmico da Mata Atlântica, o mico-leão-dourado ((Leontopithecus rosalia) é listado como “Em Perigo” tanto pela União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) quanto pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio). 

Sua distribuição geográfica é bastante restrita (uma área de cerca de 154 km² no estado do Rio de Janeiro) e, atualmente, existem apenas cerca de 2.500 micos na natureza, número que foi alcançado após intenso trabalho de proteção da espécie.

Grande parte do esforço de preservação deste primata foi empreendido pela Associação Mico-Leão-Dourado (AMLD), responsável pelo Parque Ecológico que será inaugurado.

“A ideia do parque é compartilhar todo esse trabalho que existe por trás da conservação do mico-leão-dourado, desde a restauração florestal, a agroecologia e o estabelecimento de corredores florestais. Além disso, queremos promover a valorização da Mata Atlântica e da biodiversidade, e estimular o ecoturismo, como uma estratégia de desenvolvimento local aliada à conservação da natureza”, diz  o secretário-executivo da AMLD, Luís Paulo Ferraz.  

Apesar de ser um grande atrativo aos visitantes, o avistamento do mico na natureza é apenas uma das atividades disponíveis no parque. Ele também oferece diferentes opções de trilhas, oficinas de agroecologia, atividades de educação ambiental para crianças, passeios a mirantes, exposição e até um mico safári, passeio de 4X4 voltado para pessoas com dificuldade de locomoção.

Uma das trilhas leva ao mirante do viaduto vegetado, estrutura única de passagem de fauna no Brasil que cruza a rodovia BR-101 e liga o Parque à Reserva Biológica de Poço das Antas.

“Ao avistar o viaduto, é possível entender melhor a dimensão do esforço de restauração e conexão dentro do habitat do mico-leão-dourado. Além disso, o parque propicia aos visitantes uma experiência de conservação e restauração da natureza”, explica em nota a AMLD.

Todas as atividades de inauguração do parque, que ocorrem a partir das 8h30 do próximo sábado, são gratuitas, com vagas limitadas e por ordem de chegada. Para a visitação em outros dias é preciso adquirir ingresso, cujo valor da venda será revertido para ações de conservação da espécie.

Para visitação do parque é exigido comprovante de vacinação contra Covid. Para o passeio de avistamento de micos, a vacina de febre amarela também é requerida.  A medida, segundo a AMLD, é necessária para garantir a proteção do animal contra a doença, que no passado recente vitimou um terço da sua população na natureza. 

Saiba mais sobre o Parque Ecológico Mico-Leão-Dourado em https://micoleao.org.br/o-parque/ 

Serviço:

Inauguração do Parque Ecológico Mico-Leão-Dourado

Data: 14/05, a partir das 8h30 da manhã

Local: BR-101, km 219 (sentido sul), Silva Jardim – RJ

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
22 de fevereiro de 2024

CEEE Equatorial terá que isolar fios da rede elétrica para proteger bugios, decide Justiça

Juiz acatou pedido do MP e concessionária de energia que atua na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS) terá que adequar o serviço para evitar morte de bugios

Notícias
22 de fevereiro de 2024

ICMBio convoca sociedade para analisar propostas de novas UCs

Ao todo, foram analisadas 219 propostas de criação ou ampliação de unidades de conservação em todos os biomas do país. Maior parte delas na zona costeira e marinha

Salada Verde
22 de fevereiro de 2024

Multa de R$ 23,6 mil para réu que ergueu casa no Parna de Ilha Grande

O valor servirá para restaurar a área desmatada na reserva federal, que abriga ilhas do Rio Paraná e espécies em risco de extinção

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.