Reportagens

Mato Grosso carbono zero

Marina Silva diz que Brasil terá metas de redução do desmatamento. E governador Blairo Maggi vai à Conferência do Clima para anunciar que Mato Grosso será carbono zero.

Gustavo Faleiros ·
12 de dezembro de 2007 · 16 anos atrás

O governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, chegou em Bali para a Conferência do Clima e trouxe novidades na manga. Assinou com a ministra do Meio Ambiente nesta quarta um acordo para iniciar um programa estadual de combate ao desmatamento. Segundo ele, a prioridade imediata é a recuperação de matas ciliares, além de impedir que novos desmatamentos ocorram nas áreas de preservação permanente. O próximo passo seria montar um esquema de pagamento por serviços ambientais no estado. Segundo Maggi, com um incentivo como esse os produtores rurais poderiam preservar mais do que os 80% de reserva legal na Amazônia. “Queremos que o Mato Grosso seja um estado carbono neutro”, exalta.

Parece que o aquecimento global está mesmo na agenda do homem que já foi (ou é?) considerado o algoz da floresta. A outra novidade que ele está trazendo na Indonésia é o fundo de 20 milhões de reais, a ser lançado em parceria com a The Nature Conservancy com o objetivo de aumentar o cadastramento de propriedades rurais no sistema de licenciamento do Mato Grosso. De acordo com Maggi, até o momento 35% das fazendas mato-grossense estão cadastradas, ou 14 milhões de hectares, e outros 50 milhões de hectares precisam ser incluídos no cadastro.

Perguntado se acredita que o desmatamento vai voltar a crescer, Maggi foi direto. “Tenho dito que há um leão adormecido, e ele está acordando. Mas não acho que teremos níveis tão altos como os de 2004”, disse em referência ao pico de 2,7 milhões de hectares. Em sua opinião o pessoal da soja já está satisfeito com as áreas abertas e não vai mais desmatar para plantar. Será mesmo?

  • Gustavo Faleiros

    Editor da Rainforest Investigations Network (RIN). Co-fundador do InfoAmazonia e entusiasta do geojornalismo. Baterista dos Eventos Extremos

Leia também

Salada Verde
23 de fevereiro de 2024

Justiça Federal impõe mais de R$ 316 milhões em indenizações por desmatamento ilegal

Infrações ambientais foram identificadas pelo MPF por meio do Amazônia Protege, projeto que utiliza monitoramento por satélite para responsabilizar os atores dos desmatamentos ilegais

Notícias
23 de fevereiro de 2024

MPF no Acre arquiva denúncia da CPI das ONGs contra servidores do ICMBio

Servidores do órgão foram acusados de abusos contra moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre; para procurador, acusações são “genéricas e sem fato concreto”

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Antas “avisam” pesquisadores sobre contaminação humana por agrotóxicos no MS

Além de agrotóxicos como glifosato, moradores do sudeste do estado também apresentaram altos índices de metais no corpo. Antas atuaram como sentinelas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.