Reportagens

Acordo!!!

Estados Unidos cedem a países em desenvolvimento e a Conferência de Mudanças Climáticas chega a um acordo. Mecanismo de combate ao desmatamento entrará na segunda fase de Quioto.

Gustavo Faleiros ·
15 de dezembro de 2007 · 17 anos atrás

São 14h30 em Bali neste sábado (4 da manhã no Brasil) e a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas resolveu seu maior impasse. A questão que estava travando o acordo era a linguagem na declaração final sobre os compromissos que deverão ser adotados pelos países em desenvolvimento. Os países do G77 e China não aceitavam o parágrafo que dizia que as nações mais pobres teriam que reportar planos nacionais de combate às mudanças climáticas contando com apoio financeiro e tecnologia. O que não estava escrito é que quem deveria financiar isso eram os países ricos.

As delegações do G77 reclamaram que haviam aceitado fazer uma declaração mais amena sobre os compromissos futuros que deverão ter as nações industrializadas e cobraram uma contrapartida. A menção às metas de 25% a 40% saiu do texto principal e virou uma nota de rodapé que remete às conclusões do relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climpaticas (IPCC). Mas mesmo assim os Estados Unidos decidiram recusar uma proposta da Índia para mudar o texto e tornar claro a importância dos ricos no financiamento de planos nacionais. Após pedidos em plenária para que os americanos se juntassem ao acordo, a chefe de delegação Paula Dobriansky, aceitou juntar o país ao consenso. Aplausos estusiasmados tomaram conta do auditório.

  • Gustavo Faleiros

    Editor da Rainforest Investigations Network (RIN). Co-fundador do InfoAmazonia e entusiasta do geojornalismo. Baterista dos Eventos Extremos

Leia também

Análises
19 de julho de 2024

Transespinhaço: a trilha que está nascendo na única cordilheira do Brasil

Durante 50 dias e 740 quilômetros a pé, testei os caminhos da Transespinhaço em Minas Gerais, de olho nos desafios e oportunidades para esta jovem trilha de longo curso

Notícias
19 de julho de 2024

Indústria da carne age para distrair, atrasar e inviabilizar ação climática, diz relatório

Trabalho de organização europeia analisou 22 das maiores empresas de carne e laticínios em quatro continentes

Salada Verde
19 de julho de 2024

Amazônia é mais destruída pelo consumo nacional do que pelas exportações

Consumo e economias das grandes cidades do centro-sul são o principal acelerador do desmatamento da floresta equatorial

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.