Reportagens

Queimadas nas UCs diminuem 44% em 2008.

Redação ((o))eco ·
30 de dezembro de 2008 · 13 anos atrás

O ano está terminando e o Monitor O Eco faz aqui um balanço das queimadas nas unidades de conservação (UCs) do país. De acordo com informações levantadas no Banco de Dados sobre Queimadas do Ibama e do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o número de focos de incêndio captados por diferentes satélites (NOAA, Terra, Aqua, GOES e Metereosat) dentro das áreas protegidas caiu 44% em relação a 2007.A situação, no entanto, merece ainda ser melhor analisada pelos especialistas do INPE e Ibama, pois diversos fatores, que podem variar da quantidade de chuvas à mobilização de recursos financeiros, determinam a saúde dos parques e reservas frente ao fogo. O que é possível afirmar agora é que houve um aumento preocupante de quantidade de incêndios em UCs no Nordeste. Destaque para a Área de Proteção Ambiental da Chapada do Araripe, a campeã de queimadas de 2008. Ali é a caatinga que está sendo queimada vergonhosamente para alimentar o pólo gesseiro com carvão vegetal. Na Amazônia, como se vê na lista abaixo, os problemas continuam os mesmos. Florestas Nacionais do Bom Futuro e Jamanxin, em Rondônia e Pará, continuam dominadas por grileiros que trabalham dia e noite para madeireiros e pecuaristas ilegais. Veja a lista das UCs mais queimadas neste ano de 2008 (Fonte: BDQueimadas; INPE/Ibama)Explore mais pontos de incêndio no mapa do Monitor e saiba mais sobre queimadas nos parques nos últimos seis meses. Em 2009, O Eco voltará a acompanhar as queimadas nas unidades de conservação.

Leia também

Reportagens
17 de maio de 2022

Amazônia tem mais de 425 mil famílias sem energia elétrica

Brasil avança na universalização da energia, mas população de áreas remotas da Amazônia ainda demandam acesso à eletricidade. Pandemia atrasou cronograma

Notícias
17 de maio de 2022

Para beneficiar pecuária, Acre reduz em até 80% imposto sobre comercialização de gado

ICMS a ser pago por pecuaristas acreanos cai de 12% para 2,4% na venda para alguns estados. Medida pode resultar em mais desmatamento, diz pesquisadora

Análises
17 de maio de 2022

Oportunidades e desafios para a implementação do Código Florestal brasileiro

A lentidão na implementação do Código Florestal representa o desperdício de uma valiosa oportunidade de transformar o uso da terra no Brasil

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta