Reportagens

Lista Vermelha de Espécies vegetais

Maior avaliação já feita mostra que de 7 mil espécies, 22% estão ameaçadas. Situação é tão grave como a de mamíferos.

Redação ((o))eco ·
5 de outubro de 2010 · 13 anos atrás
Nesiota elliptica, ou a oliveira de Santa Helena, declarada extinta. Só existia em ilhas do Atlântico Sul 
(foto:Rebecce Cirns-Wicks)

Um novo estudo do Jardim Botânico do Reino Unido – o Kew Gardens – em parceria com o Museu de História Naural de Londres e a União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN) faz a primeira análise global sobre os riscos de extinção de espécies vegetais, e revela que as plantas estão tão ameaçadas quanto alguns mamíferos. Utilizando-se de informações do Kew, como os arquivos de oito milhões de espécies de plantas e fungos, espécimens do Museu de História Natural e seu extenso herbário, além da colaborações de pesquisadores de diversas partes do mundo, o estudo gerou uma Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas feita por amostragem, divulgada em 28 de Setembro.

Das 7 mil espécies avaliadas, quase 22% foram classificadas como ameaçadas, o que faz das plantas mais ameaçadas que as aves, igualmente ameaçadas aos mamíferos e menos ameaçadas que anfíbios e corais. Foi constatado que o grupo das Gimnospermas é o mais ameaçado, assim como as espécies de ambientes tropicais, os habitats mais degradados. Os processos que caracterizam as principais ameaças à biodiversidade vegetal são a perda de habitats, conversão dos mesmos em sistemas de agricultura e exploração extrativista, ações induzidas pelo homem.

Caliphruria tenera, típica da Amazônia colombiana, foi considerada provavelmente extinta, pois não é registrada desde 1893 (fonte: Kew Gardens)
Caliphruria tenera, típica da Amazônia colombiana, foi considerada provavelmente extinta, pois não é registrada desde 1893 (fonte: Kew Gardens)

O estudo revelou ainda que quase um terço das espécies (33%) não possuem informações suficientes para uma avaliação de seus riscos de extinção, um desafio para os botânicos na área de conservação. 

Clique aqui para entrar no mapa interativo com o status de cada região

Avaliar as ameaças às espécies vegetais representa um grande desafio pelo grande número em relação aos animais. Por isso, adotou-se um método de amostragem, no qual 1,500 espécies foram escolhidas randômicamente dos cindo principais grupos de plantas terrestres, que de acordo com a simulação de modelos da IUCN, já utilizada para a Lista Vermelha por amostragem de aves, promove uma visão representativa do grupo de vegetais como um todo.

Foram elegidas 7000 espécies para esse estudo dos grupos principais:  briófitas (grupo dos musgos), ptridófitas (plantas sem sementes ou flores, como samambaias), gimnospermas (plantas de sementes nuas, como coníferas), monocotiledôneas (primeiro grande grupo de plantas com flores, que incluem em si orquídeas, palmeiras e gramíneas) e dicotiledônas (outro grande grupo que inclui leguminosas e outras plantas com flores). O estudo inclui espécies raras e abundantes para garantir uma boa precisão na distribuição das espécies pelo mundo 

 A Lista Vermelha faz parte do esforço global para criar de ferramentas de monitoramento do status dos principais grupos vegetais, animais e de fungos do planeta. O projeto inclui reavaliações periódicas do futuro dos grandes grupos, para ajudar na administração dos esforços conservacionistas, criando um direcionamento mais profundo de proteção.O estudo é uma base para a conservação de plantas, demonstrando, pela primeira vez as ameaças às 380 mil espécies vegetais e é também essencial para o próximo encontro dos governantes mundiais em Nagoya, Japão, na qual serão definidas as metas de conservação da biodiversidade, ainda neste mês de outubro. (Laura Alves)

Link
Site Plant at Risk, com todas as informações sobre a avaliação global das espécies vegetais
 

 

Leia também

Podcast
9 de dezembro de 2023

Entrando no Clima ep #12: COP 29 sem casa

Dia da infância e da juventude na COP 28, tensão nas negociações na cúpula e próxima cop sem país-sede são os temas discutidos em mais um episódio de Entrando no Clima

Reportagens
9 de dezembro de 2023

Na COP 28, Marina Silva defende que descarbonização comece pelos ricos

Brasil trabalha nos bastidores como mediador entre nações ricas e pobres na tentativa de consenso. País quer que IPCC cobre metas de acordo com emissões

Salada Verde
8 de dezembro de 2023

Senado avaliará PL do Licenciamento Ambiental na próxima quarta

Comissão de Meio Ambiente da casa votará relatório do senador Confúcio Moura (MDB-RO) em sessão extraordinária; matéria é o primeiro item da pauta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.