Reportagens

Fundo protege mangues da Guanabara

Parceria entre ICMBio e SOS Mata Atlântica viabiliza aporte financeiro constante para a região mais preservada da baía mais famosa do país. 

Thiago Camara ·
15 de dezembro de 2010 · 13 anos atrás
Contorno amarelo marca os limites da APA Guapimirim
e a linha vermelha, os limites da Estação Ecológica Guanabara.
Clique nos pontos amarelospara ler informações georeferenciadas,
como os pontos onde foram encontrados sinais de poluição.
Navegue utilizando os cursores à direita


Visualizar Guapamirim em um mapa maior

No estado do Rio de Janeiro restam 18, 3% de Mata Atlântica. Parte desses remanescentes estão localizados na Área de Proteção Ambiental (APA) Guapimirim e na Estação Ecológica Guanabara. A paisagem é exuberante e pouco conhecida. Para viabilizar a sustentabilidade dessas unidades de conservação foi lançado no dia 9 de dezembro, o Fundo Guanabara, um aporte financeiro constante para auxiliar a gestão das áreas e estimular pesquisas na região. Reservas federais, ambas são administradas pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio). Já a gestão do fundo e o repasse, fica sob responsabilidade da Fundação SOS Mata Atlântica. O programa faz parte do Fundo pró-Unidades de Conservação Marinhas proposto pela ONG.

“Todo o entorno da baía sofreu com o processo de industrialização e urbanização descontrolada. O único trecho que sobrou, conservado, é das áreas da APA e da ESEC. Os principais desafios que estamos enfrentando são mais uma onda de industrialização, com a chegada da indústria do petróleo à nossa região. Nosso principal desafio é manter a qualidade ambiental desse último relíquito de vegetação nativa da BG frente a essa nova leva de industrialização que se avizinha”, explica Breno Herrera, Chefe da APA Guapimirim.

Confira o slide show com fotos da região. (clique em play para ouvir narração e entrevistas. Créditos das fotos: Thiago Câmara e Leornardo Milano/ICMBio. Música: Alexandre Klinke)

Entrevista com  Breno Herrera, Chefe da APA Guapimirim




Leia também

Reportagens
15 de abril de 2024

Destruição do Cerrado emperra mega corredor da onça-pintada

É inadiável ampliar unidades de conservação e melhor alocar a vegetação legalmente protegida para salvar espécies nativas

Salada Verde
15 de abril de 2024

Cachorros-vinagres são fotografados no maior parque federal do país

Ameaçada de extinção, espécie foi registrada pela primeira vez no Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, no Amapá, através de armadilhas fotográficas

Notícias
12 de abril de 2024

ICMBio abre consulta pública para criação de novo parque marinho no Rio Grande do Sul

Criação do Parna de Albardão foi proposta há mais de 15 anos. Unidade protegerá 1,6 milhão de hectares, em região com alta pressão da pesca industrial

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.