Reportagens

Uma heterogênea Rede de Ecomunicadores dará mais visibilidade ao Pantanal e Serra da Bodoquena

Curso gratuito de jornalismo e tecnologia em andamento no Mato Grosso do Sul pretende capacitar seus moradores para a produção de notícias.

Anne Galvão ·
24 de janeiro de 2014 · 8 anos atrás

Um curso gratuito de jornalismo e tecnologia está em andamento em cinco municípios do Mato Grosso do Sul, a fim de capacitar seus moradores para a produção colaborativa de notícias com enfoque nos recursos naturais da região. É o projeto ParaTudo – Rede de Ecomunicadores do Pantanal e da Serra da Bodoquena, uma iniciativa da Fundação Neotrópica do Brasil (FNB) em parceria com o site de jornalismo ambiental O Eco, patrocinada pelo Comitê Holandês da União Internacional para a Conservação da Natureza e Recursos Naturais e pela Secretaria do Consumidor, do Ministério da Justiça.

Por meio desse projeto, a FNB está fortalecendo multiplicadores pela conservação ambiental ao propiciar um diálogo que se expande das conversas entre os 20 ecomunicadores de cada município para da Rede, e da Rede para toda a comunidade brasileira interessada pelo Pantanal e Serra da Bodoquena. Para isso, os integrantes da rede participam de oficinas, têm estímulo e mediação para discussões online e, principalmente, são preparados para a produção de informação regional.

Após a divulgação das vagas do curso, 204 inscrições foram submetidas e 100 pessoas selecionadas. A Rede de Ecomunicadores é composta por uma diversidade que abrange 57 homens e 43 mulheres, com idades que variam de 16 a 57 anos. São pessoas de diversas áreas e escolaridades – do fundamental ao doutorado.

O primeiro encontro aconteceu entre 9 e 16 de dezembro, período em que a equipe da FNB percorreu os municípios contemplados: Miranda, Corumbá, Bodoquena, Bonito e Porto Murtinho. A pauta do encontro estava focada em conhecer um pouco sobre cada ecomunicador e tirar todas as dúvidas com relação ao curso e à rede proposta. Essas atividades foram apresentadas com dinâmicas descontraídas, que fizeram com que as pessoas começassem a se soltar. Num segundo momento, discussões interessantes aconteceram em torno do texto Informação e Comunicação, de Donizete Soares, e do vídeo A História dos Eletrônicos do Projeto A História das Coisas. Os núcleos de cada município contribuíram com seus olhares e peculiaridades, mostrando-se animados para o que está por vir.

O próximo encontro acontecerá entre 27 de janeiro e 3 de fevereiro, com a participação especial de Eduardo Pegurier. Ele vai dar oficinas sobre os temas: “Breve História da Imprensa”, “Reportagem e Técnica de Entrevista” e “Jornalismo Digital e Redes Sociais”. Confira a programação completa na página do curso.

Veja fotos

 

 

 

Leia também

Notícias
22 de outubro de 2021

“Adote um ninho”: Conheça a campanha para a preservação dos papagaios brasileiros

Campanha busca incentivar a proteção dos papagaios por meio da construção de ninhos artificiais para suprir a falta de cavidades naturais, que estão diminuindo por conta do desmatamento

Análises
22 de outubro de 2021

Por uma nova onda de soluções para a resiliência e a saúde do oceano

Estudo do FMI estima que 8 milhões de toneladas de lixo plástico acabam no mar todos os anos, sendo 80% provenientes do continente. Se não mudarmos esse quadro, o oceano terá mais lixo do que peixes até 2050

Salada Verde
21 de outubro de 2021

Polícia Civil do Maranhão prende um dos homens que matou onça preta e se gabou nas redes sociais

Corpo do animal abatido foi filmado por três homens, que comemoraram o feito. O homem preso também será multado pelo Ibama.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. MARLI ALVES PEREIRA VASCONCELLOS diz:

    Não entendo o porquê esconder o rosto do homem, adulto!! Ele mostrou a cara nas redes sociais!! É preciso identificar criminosos.