Reportagens

Corumbá sedia evento de esportes radicais em pleno Pantanal

Pantanal Extremo reuniu 7 modalidades esportivas no Mato Grosso do Sul. Ideia é fazer a cidade entrar na rota do ecoturismo de aventura.

Ecocomunicadores da Rede ParaTudo ·
18 de novembro de 2014 · 8 anos atrás

Foto: Kleverton Velasques
Foto: Kleverton Velasques

Pelo segundo ano consecutivo, o Pantanal se torna a arena de um dos maiores eventos de esportes radicais do Brasil, o Pantanal Extremo – Jogos de Aventura. Realizado na semana passada, entre os dias 13 e 16 de novembro, em Corumbá/MS, o evento reuniu 780 atletas inscritos – quase 300 a mais do que no ano passado, quando foi realizado sua primeira edição.

São sete modalidades esportivas praticadas ao ar livre, em contato com a riqueza e os desafios naturais do bioma: Stand Up Paddle, Mountain Bike, Corrida de Orientação, Maratona Aquática, Voo Livre, Canoagem e Corrida de trilha. Esta última sendo a grande inovação dessa edição, batizada como “7 milhas do Pantanal” – uma motivação a mais para os amantes da natureza, aventura e superação.

Mônica Salustiano, 41, coordenadora da maratona aquática, explicou a importância do evento para os participantes: “Os benefícios do Pantanal Extremo vem da integração social na promoção da saúde e no incentivo do esporte em sintonia com a conservação da paisagem pantaneira”, afirmou.

Todas as competições são brindadas com um cenário pra lá de especial, regado a muita adrenalina. O morro do Urucum, o rio Paraguai, trilhas rurais e urbanas nos arredores da cidade são utilizados pelos atletas e para os Festivais de Paraquedismo. Durante as competições, equipes formadas por médicos, bombeiros, com apoio do SAMU e da Marinha do Brasil garantem a segurança, o conforto e a tranquilidade aos atletas e visitantes. “O diferencial do evento é deixar um legado para Corumbá tanto de infraestrutura quanto de conscientização, é um outro tipo de turismo: o turismo preocupado em conservar e interagir com o espaço, de conscientização ambiental”, afirma Rodrigo Terra, idealizador e coordenador geral do evento.

Foto: Kleverton Velasques
Foto: Kleverton Velasques

Grandes nomes dos esportes de aventura estiveram presentes na cidade, como Dudu Jacintho e Carmen Lúcia da Silva, respectivamente recordista mundial de voo livre que chegou a percorrer 580 quilômetros no nordeste de asa-delta e hexacampeã brasileira de Canoagem. Jacintho elogiou e destacou a potencialidade de Corumbá para entrar como uma das etapas de circuitos nacionais de competição devido às condições climáticas e estruturais que favorecem o esporte na região. O Morro do Urucum, local escolhido para as modalidades de voo, é rico em minérios como ferro e manganês, o que propicia as termais – ar aquecido pelo sol e pelo solo que têm como efeito ser combustíveis para atletas de voo livre.

O atleta paranaense de Rio Negro, Juscelino Karnikowski, de 37 anos, veio a Corumbá pela segunda vez para participar do Pantanal Extremo. Na primeira edição, Karnikowski ficou em segundo lugar na modalidade de Corrida de Orientação. Segundo ele, essa foi a prova mais organizada que ele participou, não ocorreu falhas. “Vim no primeiro ano, voltei e quero participar de todas as edições do evento”, exclamou. Os atletas da corrida de orientação têm que estar munidos de bússola e lanterna para fazer a prova, que é dividida em diferentes etapas: noturnas e diurnas.

Terra explica que o Pantanal Extremo tem mostrado Corumbá ao Brasil e ao mundo como um destino turístico de esporte de aventura em um dos biomas mais conservados do país. Na visão do coordenador Rodrigo Terra, o Stand Up Paddle é o grande favorito do evento para os atletas corumbaenses “pois reunimos no estado os maiores atletas da modalidade de todo o país, isso porque o campeonato brasileiro ocorre em Corumbá, o que faz com que a cidade se torne, nesse fim de semana, o centro do Stand Up Paddle brasileiro”. Para competir por esse esporte, inscreveram-se atletas do Amazonas, Bahia, Tocantins, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro.

Atletas praticam o stand-up paddle. Foto: Renê Marcio Carneiro
Atletas praticam o stand-up paddle. Foto: Renê Marcio Carneiro

Além das competições, ao final de cada dia a programação ofereceu ao público palestras sobre segurança em esportes de aventura e apresentações culturais com shows de bandas da região. O Pantanal Extremo é promovido pela Prefeitura da cidade e é visto como um investimento para promover a cultura esportiva e diversificar a economia e o turismo na região, comumente focado na pesca profissional e amadora. “Nosso foco é aliar a importância da conservação do Pantanal, bioma considerado Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera pela UNESCO, com o turismo de esporte de aventura: pra haver aventura é preciso conservar”, afirmou Terra. A advogada Beatriz Segantini mora em Campo Grande e foi vivenciar a experiência de se exercitar em interação com a natureza. Ela elogiou a iniciativa “está demais aqui! Vieram atletas do país inteiro. Ontem, conversei com um mineiro que nunca tinha vindo ao Mato Grosso do Sul e veio só por causa do evento, está encantado com a cidade e tudo aqui”, animou-se.

Os 22 hotéis da cidade se prepararam para receber o alto número de visitantes que chegam. Na visão de Jaime Amorim, recepcionista do hotel Nacional Palace, o movimento no setor hoteleiro foi altíssimo “saímos de uma média de 40 a 50 hóspedes por dia para 220 por dia durante o Pantanal Extremo. E isso se repetiu em todos os hotéis da cidade, a gente percebeu um salto enorme no movimento e um público bem diferente do que o de costume na cidade”, afirmou.

Muito mais do que um roteiro de pesca esportiva, o Pantanal é o cenário perfeito para integrar esportes, conservação e cultura em Mato Grosso do Sul. Corumbá passa a ser conhecida como um importante polo de ecoturismo no eixo nacional e internacional.

Foto: Kleverton Velasques
Foto: Kleverton Velasques

 

*O Grupo ParaTudo Corumbá é formado pelos jornalistas-cidadãos Grasiela Porfírio, Fátima Seher, Kleverton Velasques, Gleicy Anne. Supervisão: Fernanda Athas. Fotografias: Kleverton Velasques/Renê Marcio Carneiro/Beatriz Segantini.

 

 

Leia Também
Como os peruanos estão goleando o Brasil no ecoturismo
Valorização do ecoturismo permeou as discussões no Conatus 2013
Corumbá: cresce ocorrência de animais silvestres na área urbana

 

 

 

Leia também

Notícias
25 de novembro de 2022

Isso virou “troco” para nós, diz governador de Mato Grosso sobre programa REDD

Segundo Mauro Mendes, “migalhas” repassadas por países ricos não recompensam, de forma justa, os serviços ambientais prestados pelo Brasil

Notícias
25 de novembro de 2022

São Paulo terá super secretaria de meio ambiente, infraestrutura, transportes e logística

A equipe de transição ligada à pasta também tem forte influência de Gilberto Kassab, que será secretário de Governo de Estado

Notícias
25 de novembro de 2022

Extinção de Floresta Nacional fantasma avança na Câmara

Projeto que extingue a Flona de Cristópolis, na Bahia, foi aprovado pela Comissão de Meio Ambiente. Criada em 2001 de forma polêmica, a área protegida nunca foi implementada

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta