Reportagens

Primeiro semestre de 2015 foi o mais quente já registrado

De acordo com agência norte-americana do clima, o ano caminha para quebrar recorde entre os mais quentes da história.

Cíntya Feitosa ·
7 de agosto de 2015 · 6 anos atrás

O ano de 2015 caminha para quebrar o recorde entre os mais quentes já registrados no mundo. O primeiro semestre teve temperatura 0,85ºC acima da média e foi o mais quente desde 1880, de acordo a agência norte-americana NOAA. A média global é calculada de acordo com os registros das temperaturas nas superfícies oceânica e terrestre.

Junho foi o terceiro mês deste ano a quebrar o recorde mensal de temperatura, junto com março e maio. Os outros meses também registraram altas temperaturas: janeiro e fevereiro ocupam o segundo lugar entre os mais quentes, na comparação com os mesmos meses, e abril foi o quarto com temperatura mais alta.

O mês de junho também registrou a terceira menor extensão de gelo no Ártico desde 1979, quando as medições por satélite começaram, usando dados da NOAA (Agência Nacional de Oceanos e Atmosfera) e Nasa (Agência Espacial Norte-Americana).

No mapa, as regiões em vermelho registraram temperatura acima da média. Em azul, as regiões com temperatura abaixo da média. A comparação é entre 2015 e o período de 1981 a 2010.

Clique para ampliar. Foto: NOAA
Clique para ampliar. Foto: NOAA

 

 

*Este artigo foi publicado originalmente no site do Observatório do Clima, republicado em O Eco através de um acordo de conteúdo. logo-observatorio-clima

 

 

Saiba mais
Relatório: NOAA National Centers for Environmental Information, State of the Climate: Global Analysis for June 2015, publicado online em Julho de 2015

Leia também
Áreas protegidas da Amazônia absorvem 11 vezes mais carbono
Brasil está mais inflamável, dizem estudos
Infraestrutura é chave para corte de emissões neste século, diz estudo

 

 

 

Leia também

Notícias
20 de janeiro de 2022

Espécie de jararaca descoberta na Caatinga revela história evolutiva até então desconhecida

A descoberta da espécie B. jabrensis trouxe também uma revelação surpreendente: uma nova linhagem evolutiva, até então desconhecida pela ciência, dentro do gênero jararacas

Notícias
20 de janeiro de 2022

“Essa tese de que vamos abrir a cerca para o gado passar não será predominante no meu governo”, diz Lula

Em entrevista coletiva, pré-candidato do PT à presidência falou em meio ambiente urbano, pesticidas e defendeu o legado de construção de grandes hidrelétricas na Amazônia

Análises
20 de janeiro de 2022

Além do plantio: incluindo pessoas na restauração florestal

Mais importante do que “apenas” plantar árvores, é necessário conciliar a conservação ambiental com produção sustentável através da integração de paisagens e pessoas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Flávia diz:

    Excelente artigo.. bem mais aprofundado do que tenho visto em outros canais que tocam no assunto de restauração. Obrigada, Veronica.