Salada Verde

Prédio espelhado afeta aves em Brasília

Leitora envia fotos de diversas aves mortas pelo choque com vidraças em edifício da Capital. Problema foi denunciado por ((o))eco no ano passado.

Redação ((o))eco ·
28 de junho de 2010 · 14 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Como mostrado no ano passado pelo ((o))eco, Brasília sofre um problema grave relacionado aos seus prédios espelhados e suntuosos que crescem no centro urbano da Capital. As grandes construções criam reflexos ilusórios de continuidade da arborização ou do céu. 

Muitas espécies de aves colidem com as edificações por não conseguirem distinguir realidade de reflexo. E, devido a longa vida de construções como essas, o impacto que já é grande, será monstruoso a longo prazo. Moradores de Brasília já percebem o efeito negativo de construções feitas com vidros espelhados em zonas nobres da cidade, como na quadra 105 Sul.

Fotos de diversas aves mortas no pavimento do edifício chegaram até nós por email da leitora Luciana Heringer, moradora da 105 Sul . Ela conta que, junto com seus vizinhos, esta tentando descobrir quem são os proprietários do prédio. O monstrinho foi construído há cerca de um ano e ainda não tem inquilinos. 

Agora, falta às autoridades públicas reconhecer o tamanho do problema e definir normas para se evitar a construção de prédios com vidros espelhados perto de áreas naturais e centro urbanos, evitando assim prejuízos à fauna silvestre e urbana, pois impacto atinge ambas. 
 

Pássaros mortos por colisão com prédios comerciais espelhados na quadra 105 sul em Brasília

Leia também

Notícias
19 de abril de 2024

Mais de 200 pistas de pouso são registradas dentro de Terras Indígenas na Amazônia

Maioria está próxima a áreas de garimpo, mostra MapBiomas. 77% da atividade garimpeira ilegal na floresta tropical está a menos de 500 metros da água

Reportagens
18 de abril de 2024

A nova distribuição da vida marinha no Atlântico ocidental

Estudo de porte inédito pode melhorar políticas e ações para conservar a biodiversidade, inclusive na foz do Rio Amazonas

Análises
18 de abril de 2024

Uma COP 30 mais indígena para adiarmos o fim do mundo

Sediada pela primeira vez na Amazônia, a conferência traz a chance de darmos uma guinada positiva no esforço para frear a crise climática que ameaça nossa espécie

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.