Salada Verde

Siderúrgica é multada por poluição do ar

CSA terá que pagar 14 milhões de reais em compensações por ter emitido fuligem de grafite em bairro com 6 mil casas na Zona Oeste do Rio.

Redação ((o))eco ·
6 de janeiro de 2011 · 13 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Secretário de Ambiente, Carlos Minc, durante coletiva de imprensa que detalhou a compensação que deve ser paga pela CSA (foto: divulgação INEA)
Secretário de Ambiente, Carlos Minc, durante coletiva de imprensa que detalhou a compensação que deve ser paga pela CSA (foto: divulgação INEA)
Planta da CSA vai ter que operar com capacidade reduzida (foto: Governo do RJ)
Planta da CSA vai ter que operar com capacidade reduzida (foto: Governo do RJ)
 

A Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) – parceria entre a Vale a ThyssenKrupp, foi multada ontem em R$ 2,8 milhões devido ao vazamento de fuligem de grafite e limalha na atmosfera, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio.

De acordo com o secretário estadual de Ambiente, Carlos Minc, a companhia terá também de desembolsar R$ 14 milhões em uma compensação ambiental.

O acordo compensatório prevê a dragagem do Canal de São Fernando e drenagem da comunidade, além da construção de uma clínica da família, a criação de um centro de referência para tratamento de diabéticos e hipertensão e a pavimentação e asfaltamento das ruas.

As obras serão custeadas pela CSA e executadas pelo Inea, pelo governo do estado e pela prefeitura. É a segunda vez desde que começou a operar, em menos de seis meses, que a companhia é multada por poluir o ar no entorno da usina. Segundo a CSA, um defeito em um dos guindastes da aciaria, na manhã do último domingo, obrigou a empresa a descartar ferro gusa em um desses poços, cujas partículas foram espalhadas pelo vento ao redor da usina, atingindo 6 mil casas.

No meio do ano passado, quando o primeiro forno entrou em funcionamento, a companhia já havia sido multada por problema semelhante, em R$ 1,8 milhão.

O secretário estadual de Ambiente, Carlos Minc, e a presidente do Instituto Estadual de ambiente (Inea), Marilene Ramos, anunciaram também que a CSA será monitorada por câmeras instaladas em suas dependências, para fiscalização da produção. Além disso, ficou confirmado a determinação imposta à CSA de reduzir em 30% sua capacidade operacional, ou seja, diminuir a produção de aço de 16 mil para 10 mil toneladas/dia.  (Daniele Braga)

Leia também

Colunas
17 de abril de 2024

Declaração de Barcelona define novos rumos para a Década do Oceano

O encerramento do evento oficializou a primeira conferência da Década do Oceano de Cidades Costeiras que ocorrerá em 2025 na cidade de Qingdao, na China.

Salada Verde
17 de abril de 2024

Marina Silva é uma das 100 pessoas mais influentes de 2024, segundo a Time

Selecionada na categoria “líderes”, perfil de Marina destaca a missão da ministra em prol do combate ao desmatamento ilegal na Amazônia. Ela é a única brasileira citada na lista de 2024

Reportagens
17 de abril de 2024

Em audiência pública na ALMG, representantes da UFMG alertam para impactos da Stock Car

Reunião contou com reitora e diretores da universidade, mas prefeitura e organizadores da corrida faltaram; deputada promete enviar informações a patrocinadores da Stock Car

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.