Salada Verde

Cotada para assumir chefia do Iguaçu, Biesek já foi multada no parque

Ana Biesek foi autuada em janeiro deste ano por excesso de velocidade na estrada do interior do Parque Nacional do Iguaçu, onde o limite é 50 km/h para evitar atropelamentos de fauna

Duda Menegassi ·
2 de dezembro de 2020 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Enquanto o silêncio dos órgãos oficiais permanece sobre a troca ou não da chefia do Parque Nacional do Iguaçu, ((o))eco apurou que Ana Solange Biesek, nome até então cotado para assumir a posição, já foi multada pelo ICMBio dentro do próprio parque. O motivo é singular: excesso de velocidade. Desde 2008, o Plano de Manejo estabelece o limite de 50 km/h para o trânsito de veículos nas estradas do interior da unidade de conservação para evitar atropelamento de fauna. Segundo o auto, Biesek dirigia a 80 km/h.

A infração ocorreu em novembro de 2019 e Biesek foi formalmente autuada em janeiro de 2020. A multa, no valor de R$500, foi paga integralmente por ela. Ana Solange Biesek é servidora pública do município de Foz do Iguaçu, atualmente lotada na Secretaria de Turismo, e ex-mulher do atual diretor da Cataratas S.A., Adelio Demeterko. A empresa é a principal concessionária do parque.

Em ligação feita por ((o))eco, Biesek chegou a confirmar o convite feito para que ela assumisse a gestão do Parque Nacional do Iguaçu, mas a nomeação ainda não foi formalizada no Diário Oficial da União, tampouco confirmada pelo Ministério do Meio Ambiente ou pelo ICMBio. (Duda Menegassi)

 

Leia também

Pressão política pode resultar em troca de chefia no Parque Nacional do Iguaçu

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Reportagens
30 de novembro de 2020

Pressão política pode resultar em troca de chefia no Parque Nacional do Iguaçu

Segundo fontes ouvidas por ((o))eco, exoneração do atual chefe deve sair em breve. No seu lugar, o nome mais cotado é Ana Biesek, servidora municipal de Foz e ex-mulher do diretor da Cataratas S.A.

Salada Verde
24 de maio de 2024

Comissão da Câmara aprova projeto que aumenta pena para crime ambiental na Amazônia

Proposta também inclui penalização de servidores e agentes públicos que se omitirem diante de tais crimes. Ascema vai avaliar conteúdo do texto

Notícias
24 de maio de 2024

Desastres ambientais afetaram 418 milhões de brasileiros em 94% das cidades, diz estudo

Levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) mostra que cada brasileiro enfrentou, em média, mais de duas situações de desastre entre 2013 e 2023

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 2

  1. Carlos diz:

    Isso lá é matéria interessante? Uma ambientalista multada por excesso de velocidade dentro de um parque?

    Pela matéria do ECO anterior, dá pra notar que vocês querem destruir a pessoa, mas usar uma multa? Que mixuruca!!!


  2. Ana Pereira diz:

    Essa história só piora!

    Prezada Ana Biesek tenha dignidade de assumir que a senhora não tem a menor condição técnica e ética de assumir um cargo dessa envergadura. Pelo seu currículo você não terá dificuldade de encontrar outro cargo comissionado para mostrar sua competência.