Salada Verde

Governo assina acordo para trazer ararinhas-azuis ao Brasil

Ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, assinou parceria com organizações conservacionistas que prevê retorno dos animais ao país no primeiro trimestre de 2019

Sabrina Rodrigues ·
26 de junho de 2018 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, assina acordo, em Bruxelas, para repatriar 50 ararinhas-azuis. Foto: Renata Meliga/ ASCOM- Ministério do Meio Ambiente.

Para que o regresso dos animais ao Brasil seja bem-sucedido, a ACTP e o Pairi Daiza irão construir um centro de reintrodução da espécie no município de Curaçá (BA). No dia 5 de junho deste ano, quando se comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente, o governo brasileiro criou o Refúgio de Vida Silvestre da Ararinha-azul, em Curaçá, e a Área de Proteção Ambiental da Ararinha-azul, em Juazeiro, também na Bahia. O objetivo é proteger o bioma Caatinga e promover a adoção de práticas agrícolas compatíveis com a reintrodução e a manutenção da espécie na natureza.

As ações conjuntas entre instituições privadas nacionais e internacionais e o governo brasileiro visa alcançar êxito no que diz respeito as ações previstas no Plano de Ação Nacional (PAN) para a conservação da Ararinha-azul, com vista a aumentar a sua população manejada em cativeiro, recuperar e conservar o habitat de ocorrência da espécie.

A ararinha-azul, única espécie do gênero Cyanopsitta, foi descoberta há exatos 199 anos, em abril de 1819, em Juazeiro (BA), pelo naturalista alemão Johann Baptist Ritter von Spix (1781-1826), durante suas expedições pelo Brasil. Espécie endêmica da Caatinga, a Cyanopsitta spixii é considerada uma das espécies de aves mais ameaçadas do mundo. Em 2000, a espécie foi classificada como Extinta na Natureza (EW), restando apenas indivíduos em cativeiro.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério do Meio Ambiente

 

Leia Também

A saga da ararinha-azul para voar novamente em liberdade

Ministério anuncia construção de centro de reprodução da ararinha-azul

O longo regresso da ararinha-azul ao Brasil

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
28 de fevereiro de 2013

O longo regresso da ararinha-azul ao Brasil

Chegada de fêmeas da Alemanha é passo importante para aumentar a população das aves e criar condições para a reintrodução na natureza.

Salada Verde
12 de julho de 2016

Ministério anuncia construção de centro de reprodução da ararinha-azul

Fazenda no município de Curaça, na Bahia, foi escolhida como sede do empreendimento. Governo prevê investimento de 5 milhões para a construção do espaço

Reportagens
29 de abril de 2018

A saga da ararinha-azul para voar novamente em liberdade

Como andam as ações para a reintrodução da Cyanopsitta spixii na Caatinga de Curaçá, Bahia, e o que ainda precisa ser feito para concretizar sua volta à natureza

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta