Salada Verde

Ministro do Turismo alega que ‘apps’ de turismo são fiscais do meio ambiente

Em entrevista, o ministro repetiu a falácia de que o Brasil é o país mais preservado do mundo e disse que problema ambiental mais grave do país está nos centros urbanos

Duda Menegassi ·
11 de janeiro de 2021 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Em entrevista na noite de domingo (10), o ministro do Turismo, Gilson Machado, comentou sobre o meio ambiente e viralizou nas redes com uma fala que creditava aos aplicativos de turismo a função de fiscalizar a proteção da natureza. “Eu não tenho dúvida de que o país da gente é o mais preservado, sabe por que? Porque nós hoje temos um aliado chamado os motores de reserva: Booking, Expedia, Tripadvisor… Quem vai julgar se o meio ambiente está preservado é o próprio turista”, disse Gilson. Nas redes, usuários ridicularizaram a fala, que ignora o papel dos órgãos ambientais – os verdadeiros fiscais do meio ambiente. Na entrevista, realizada no programa Poder Em Foco, no SBT, o ministro alegou ainda que esse é “o governo que mais se preocupou com meio ambiente, até porque o maior problema ambiental que nós temos é o controle ambiental urbano”.

Em sua fala, Gilson dá a entender que os aplicativos que funcionam como plataformas colaborativas sobre atrativos turísticos que coletam avaliações e comentários dos usuários (como Booking, Expedia e Tripadvisor), seriam um mecanismo de fiscalização eficiente. “Porque se ele [o turista] for em São Miguel dos Milagres, por exemplo (…) chegar num recife de coral, mergulhar e não ver ouriço, não ver um peixe, ele bota lá ‘não volte, porque eu não tenho o meio ambiente preservado’. Então o próprio trade hoje fica de olho na fiscalização ambiental, ajuda a fiscalizar, ajuda a manter o ambiente equilibrado”, alegou o ministro, aparentemente alheio aos inúmeros casos de turismo predatório em ambientes naturais e ao fato de que a zona marinha de São Miguel dos Milagres fica dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Costa dos Corais, ou seja, quem responde pela fiscalização por lá – e orienta a conduta dos visitantes – é o ICMBio. (Duda Menegassi)

 

Leia também

Turismo descontrolado ameaça ambiente de Fernando de Noronha

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Reportagens
10 de março de 2019

Turismo descontrolado ameaça ambiente de Fernando de Noronha

Entre 1992 e 2018, o número de visitantes saltou de 10.094 para 103.722, o que coloca em risco a alta biodiversidade do arquipélago

Reportagens
23 de abril de 2024

COP3 de Escazú: Tratado socioambiental da América Latina é obra em construção

No aniversário de três anos do Acordo de Escazú, especialistas analisam status de sua implementação e desafios para proteger ativistas do meio ambiente

Salada Verde
23 de abril de 2024

Querem barrar as águas do ameaçado pato-mergulhão

Hidrelétricas são planejadas para principais rios onde vive o animal sob alto risco de extinção, na Chapada dos Veadeiros

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 2

  1. Ele esqueceu de dizer que lá na mesma APA Costa dos Corais ele próprio já foi multado por construir seu hotel em área proibida!


  2. Paulo diz:

    Mais um analfabeto ambiental comentando algo que não conhece.
    Mais burrocrata de gabinete.

    Vá aos parques na Europa, Canadá, EUA, japão e outros e compare as fiscalizações. Mais um ministro vivendo em delírio mental.