Salada Verde

Mourão quer ‘renovação doutrinária’ no Ibama, ICMBio, Incra e Funai

Documento do Conselho Nacional da Amazônia Legal, presidida pelo vice presidente, propõe a “renovação da estrutura de pessoal, logística, orçamentária (e doutrinária, se for o caso)” 

Daniele Bragança ·
9 de novembro de 2020 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Um despacho, assinado pelo presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, Hamilton Mourão, encaminhado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, propõe uma série de ações e solicita indicação de um servidor especializado para participar das reuniões do Conselho. Além de propor controlar a atuação de Organizações Não-Governamentais na Amazônia, o colegiado propõe uma reestruturação em órgãos de combate aos ilícitos ambientais, como Ibama, ICMBio, Funai e Incra, que incluiria “renovação da estrutura de pessoal, logística, orçamentária (e doutrinária, se for o caso)”. 

O governo não especifica o que seria renovação doutrinária. Em todo caso, a conduta da política ambiental na Amazônia está na mãos dos militares, e não dos órgãos civis de Meio Ambiente. 

No mesmo documento do Conselho Nacional da Amazônia Legal, há a proposta de ativar um “Gabinete de Prevenção e Combate ao Desmatamento e às Queimadas”, coordenado pelo general Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República – GSI/PR. Ainda segundo o despacho, o gabinete tem o “objetivo de promover o acionamento das operações interagências de Inteligência (SISBIN), a integração de sistemas de sensoriamento e imagens, a ativação dos centros de Comando e Controle avançados em Belém e Manaus e a identificação das necessidades de operação de GLO”. (Daniele Bragança

 

Leia Também

Da janela do avião, Mourão “verifica” que floresta não está queimando

 

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

Leia também

Salada Verde
24 de setembro de 2020

Da janela do avião, Mourão “verifica” que floresta não está queimando

Vice-presidente sobrevoou áreas de Rondônia onde o satélite do Ministério da Defesa havia apontado focos de calor e negou existência de queimadas, culpando as altas temperaturas

Reportagens
24 de junho de 2024

Marina Silva apoia pré-candidatura prioritária da Rede em São Paulo, com foco na pauta ambiental

Ministra participou de evento realizado no último sábado (22), em apoio à Marina Bragante, que concorrerá à câmara de vereadores; intenção é percorrer o país

Análises
24 de junho de 2024

Greve dos servidores ambientais: o dilema político do governo Lula

O governo sabe que a reestruturação da carreira de especialista em meio ambiente é uma questão de justiça e que não promovê-la tem um custo político enorme, pois revela uma incoerência

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 13

  1. Moacir diz:

    A esfera federal conta com boa estrutura e quadros capacitados.
    São necessários novos concursos, retorno aos orçamentos anuais de 10 anos atrás e apoio político às instituições.
    Quem é esclarecido sabe honestamente que as atuais políticas de governo convergem para o enfraquecimento e contenção das ações socioambientais. Isso é ilegal, imoral e corrói os ecossistemas, a sustentabilidade e o presente e futuro do País.


  2. José Edmar Gomes diz:

    O Ibama já tem, em si, o seu papel na administração ambiental. É preciso, apenas, que este instituto tenha as condições mínimas para atuar e que não sofra sabotagens, como vem sofrendo. Esta estória de renovação doutrinária é a própria mediocridade que domina o governo e a visão envelhecida dos militares. A Amazônia é patrimônio mundial sim. o mundo e o Brasil precisam dela. Num futuro próximo, precisaremos compartilhar água e oxigênio… O egoísmo chifrin que nos assoma não terá lugar no mundo de amanhã.


  3. Anonima diz:

    Por renovação doutrinaria ele deve entender como a imposição da disciplina militar em órgão civil. É isso, senhor? Sim, senhor?!!!


  4. Summer diz:

    Ibama, Icmbios, Incra… Não funcionam, são órgãos comandados pela política irresponsável existente.


    1. Anonima diz:

      Não fale do que não conhece. Agora, que a política atual quer destruí-los, isso sim, é verdade.


  5. José diz:

    Nossa, quanta bobagem nestes comentários. Provavelmente nenhum é morador da Amazônia. A realidade dos problemas e a solução deles passam bem longe daquilo que li de vcs.
    Infelizmente, o Brasil tá cheio de bobo que engole tudo que a imprensa publica.
    Parabéns Mourão, gel Heleno e principalmente Ricardo Sales que é o único que chegou mais perto de conter o desmatamento a custos ínfimos.
    A solução apresentada por ele é a de que vcs que residem fora da Amazônia e países que defendem a preservação da Amazônia possam agora, por meio direto, depositar seu próprio dinheiro aos proprietários de terras para que os mesmos as conservem em mata, cuidando inclusive da posse da mesma e contendo fogos e incêndios.
    Olha que coisa boa, agora, vc que adora falar de Amazônia poderá tbém fazer por ela.
    Levem essa idéia adiante pq terra q não produz, não mata a fome de ninguém, principalmente de seus proprietários.


  6. MRSoares diz:

    As medidas corretas são fortalecimento dos órgãos ambientais. Admitindo novos servidores p compor seus quadros. Qualifica-los. Ter maior efetivação na questão dos Autos de Infrações. Militarizar (doutrinar?) os órgãos ambientais p quê?
    Podemos ter apoio das forças armadas p proteção dessa imensa área. Mais quem tem poder de autuação baseados em kaudos técnicos são servidores q integram órgãos ambientais. (Biólogos, Engenheiros Florestais, Geografia, etc.)


  7. Obama diz:

    O que o vice presidente está fazendo chama-se empurrar com a barriga. Cria-se várias polêmicas e fantasias e quando a população se der conta já se passaram quatro anos e grileiros encheram as burras de dinheiro negociando terras públicas, madeireiros já devastaram milhares de Maracanãs de floresta e garimpeiros já deixaram as TI's como a superfície luar.


  8. Geraldo diz:

    O paraíso do crime organizado é a amazônia. O lucro é astronômico e a fiscalização é nula. Os governantes se aliam aos criminosos, quando se omitem ou pior, quando lhes defendem. Sem contar quando se associam e lhes financiam.


    1. Ederson diz:

      isso foi o que o luladrao e a dilmanta fizeram durante o período que destruíram nossa nação.


  9. Ribeiro diz:

    Negacionista das mudanças climáticas, simpatizante dos garimpeiros e defensor da visão ultrapassada da ditadura sobre o desenvolvimento da região Norte, o general Heleno já se mostrou desqualificado para qualquer função de proteção da amazônia. É deixar uma raposa tomando conta do galinheiro.


    1. Anonima diz:

      Por renova ao doutrinaria e deve entender como a imposição da disciplina militar em órgão civil. É isso, senhor?


  10. Paulo diz:

    Simples, aplicar a lei, nada mais.
    Ou o sr. vice Presidente, pretende o quê ?