Fotografia

Brava lagoa que desapareceu

Fotos e histórias dos leitores mostrando locais preservados no passado, em transformação e também belezas naturais do Brasil. Contribua enviando imagens com pequenos relatos para [email protected]

Redação ((o))eco ·
26 de maio de 2009 · 13 anos atrás
Maricá apresenta um dos maiores complexos lagunares do estado do Rio de Janeiro, chamado de Maricá-Guarapina, com rios, lagoas, riachos e brejos. Antigamente, o sistema era formado pelas lagoas Brava, de Maricá, da Barra, do Padre e Guaripina. Surpreendentemente, a Lagoa Brava vem desaparecendo a olhos nus, sem que as autoridades públicas ambientais façam algo por sua salvação, contou o ambientalista carioca Gerhard Sardo com estas imagens aéreas, onde é possível comparar o ecossistema da lagoa em 1976 e hoje. A lagoa aparece em negro no centro da imagem.

Leia também

Notícias
10 de agosto de 2022

ALMT adia votação do projeto que libera caça esportiva no Mato Grosso

Autor da proposta, o deputado Gilberto Cattani (PL) quer aumentar a “interação homem e natureza”. As espécies que poderão ser caçadas serão decididas pelo Executivo

Reportagens
10 de agosto de 2022

Complexo ameaça uma das últimas regiões livre de barramentos nas nascentes do Pantanal

Rio Cabaçal é alvo de projeto que prevê a construção de quatro PCHs e duas CGHs. Fragilizada pelo assoreamento, bacia do curso d'água pode sofrer com fortes impactos na qualidade da água

Notícias
9 de agosto de 2022

Marinha suspende bombardeio em ilha no arquipélago de Alcatrazes

Exercício militar havia sido agendado para os dias 16 e 17 de agosto na Ilha Sapata, na zona de amortecimento do Refúgio de Vida Silvestre Alcatrazes, em pleno período reprodutivo das aves

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. Ari diz:

    Deus nos livre de o Brasil precisar da marinha para defesa. Uma força armada sem treinamento algum,:enquanto outros países treinam sempre e se preparam para a defesa de seus mares. Assim logo seremos escravos do Maduro.


  2. Miriam de Souza Dantas diz:

    Mas adiar não resolve, a agressão ambiental continua. Por que não fazem em outro lugar desse Brasilzão?