Notícias

Vulnerabilidades de São Paulo

Estudo mostra que até 20% do crescimento da metrópole até 2030 estarão suscetíveis a acidentes. Poluição é responsável por 70% das internações por doenças respiratórias.

Redação ((o))eco ·
15 de junho de 2010 · 14 anos atrás

Estudo divulgado hoje (15) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e Universidade de Campinas (Unicamp) pela primeira vez revela a extensão das vulnerabilidades de São Paulo frente às mudanças climáticas. Nos últimos anos, vários pesquisadores vêm alertando para o aumento da ocorrência de enchentes e deslizamentos na metrópole paulistana. O trabalho do Inpe e Unicamp exemplifica como será isso:  a previsão é de que 20% do que a capital paulista crescer até 2030 será suscetível a acidentes naturais provocados pela chuva e aproximadamente 11,17% dessas ocupações poderão ser afetadas por deslizamentos. O documento também revela que a poluição e as mudanças climáticas são responsáveis por cerca de 70% das internações por doenças respiratórias.

Pelas projeções do estudo, a mancha urbana da metrópole paulistana será o dobro da atual em 20 anos. O aumento deverá ocorrer “principalmente na periferia, em loteamentos e construções irregulares, e em áreas frágeis, como várzeas e terrenos instáveis, com grande pressão sobre os recursos naturais”, diz o trabalho. Com esse crescimento, a região metropolitana de São Paulo pode ficar vulnerável a outros riscos, como a escassez de água, devido à destruição dos mananciais e impossibilidade de recarga dos lençóis freáticos com a impermeabilização do solo.

Leia mais sobre o estudo aqui 

Leia também

Salada Verde
23 de fevereiro de 2024

Justiça Federal impõe mais de R$ 316 milhões em indenizações por desmatamento ilegal

Infrações ambientais foram identificadas pelo MPF por meio do Amazônia Protege, projeto que utiliza monitoramento por satélite para responsabilizar os atores dos desmatamentos ilegais

Notícias
23 de fevereiro de 2024

MPF no Acre arquiva denúncia da CPI das ONGs contra servidores do ICMBio

Servidores do órgão foram acusados de abusos contra moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre; para procurador, acusações são “genéricas e sem fato concreto”

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Antas “avisam” pesquisadores sobre contaminação humana por agrotóxicos no MS

Além de agrotóxicos como glifosato, moradores do sudeste do estado também apresentaram altos índices de metais no corpo. Antas atuaram como sentinelas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.