Notícias

O jacaré-de-papo-amarelo e seu sorriso nada amarelo

O homenageado da semana chegou a correr grave risco de extinção. Felizmente, a caça foi proibida e a população do jacaré-de-papo-amarelo voltou a crescer. Foto: Cláudio Timm

Duda Menegassi ·
17 de agosto de 2012 · 12 anos atrás
Nessa semana, ((o))eco homenageia o jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris), que, como diz o nome, chama atenção pela cor do papo. Habitante do Pantanal, gosta de lagoas, rios, brejos e mangues e pode ser encontrado, também, no Uruguai, Argentina e leste da Bolívia.  

Na reprodução, a fêmea desova entre 20 e 50 ovos que demoram cerca de 80 dias até eclodirem. Quando o momento do nascimento se aproxima, o filhote vocaliza de dentro do ovo para chamar a mãe e avisá-la que é hora de sair pro mundo. Os recém-nascidos vão direto pra água e se alimentam por conta própria, embora sob os olhares atentos dos pais. E esse é só o começo da vida dos filhotes, pois eles vivem cerca de 50 anos.

O jacaré-de-papo-amarelo mede entre 1,5 e 2,5 metros. Sua alimentação é baseada principalmente em peixes, anfíbios, pássaros e pequenos mamíferos. Essa dieta carnívora é facilitada pelos dentes fortes e a mordida potente. Apesar de predador, o jacaré-de-papo-amarelo não escapa do homem. Ele é uma vítima da poluição do seu habitat e da caça predatória. Chegou a correr grave risco de extinção. Felizmente, a caça foi proibida e a população desses répteis voltou a crescer.

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Salada Verde
21 de fevereiro de 2024

Exposição de fotografias do Pantanal arrecada recursos para as Brigadas Pantaneiras

A mostra “Água Pantanal Fogo” reúne 80 imagens de Lalo de Almeida e Luciano Candisani . Seis das obras vão à venda para arrecadação de fundos

Reportagens
21 de fevereiro de 2024

Sem a Fundação Zoobotânica, RS completa 10 anos sem divulgar lista de espécies ameaçadas

Sob críticas de ambientalistas e sem interessados, governo do estado insiste na concessão privada das instituições que eram coordenadas pela FZB

Notícias
21 de fevereiro de 2024

MS: lei do Pantanal entra em cena com seca histórica do Rio Paraguai

Normativa restringe atividades produtivas e protege formações naturais buscando associar desenvolvimento e conservação

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.