Notícias

A mística e dócil jiboia-constritora

A homenageada do ((o))eco esta semana é a famosa jiboia-constritora. É a segunda maior cobra do país, mas não é perigosa nem mesmo venenosa. Foto: Guilherme Jófili

Duda Menegassi ·
28 de setembro de 2012 · 12 anos atrás
A homenageada do ((o))eco esta semana é a famosa jiboia-constritora (Boa constrictor). Esta cobra de grande porte, pode chegar a 4 metros de comprimento e pesar até 40 quilos. Ocorre em florestas densas por todo o Brasil e América do Sul. É a segunda maior cobra do país — só perde pra sucuri — mas não é perigosa nem mesmo venenosa.

Alimenta-se principalmente de roedores e aves. Sua digestão é lenta e pode durar semanas, período em que fica estática, em torpor. É uma predadora silenciosa que rastreia suas presas pelo movimento que produzem. Mata-as por estrangulamento, envolvendo-as e apertando-as até sufocá-las. Seu nome é decorrência deste método de constrição.

A gestação desta jiboia dura até seis meses, produzindo de 12 a 64 filhotes. É um animal procurado, pois sua pele é valorizada na indústria e, também, é capturada ilegalmente para virar bicho de estimação. Não está em risco de extinção, mas é preciso atenção.

Muito do que se diz sobre as jiboias é pura lenda. É um animal que não ataca o homem, apesar das versões mitificadas de que é violenta. Foto: Guilherme Jófili

 

 
 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Notícias
19 de junho de 2024

Coletivos de jovens repudiam falta de participação em evento preparatório do G20, em Belém

Para ativistas, como resultado das falhas de organização oficial do evento, houve pouca representatividade de jovens em plenárias realizadas esta semana na capital paraense

Reportagens
19 de junho de 2024

Fenômenos naturais ameaçam de extinção quase 4 mil espécies terrestres

Estudo inédito revela que terremotos, furacões, tsunamis e vulcões colocam em risco cerca de 10% das espécies de vertebrados terrestres do mundo, principalmente em ilhas e regiões tropicais

Notícias
19 de junho de 2024

Governo reforça que pedirá volta do exterior das ararinhas comprovadamente brasileiras

Medida depende igualmente de questões como negociações diplomáticas e arranjos logísticos entre os países envolvidos

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.