Notícias

Museu Goeldi lança portal sobre botânica da Amazônia Oriental

O novo site também reunirá pesquisas na área de zoologia referentes aos estados do Pará, Amapá, Mato Grosso, Maranhão e Tocantins.

Redação ((o))eco ·
16 de novembro de 2012 · 9 anos atrás
Exemplar do Muiracatiara (Astronium lecointei Ducke) no catálogo do Museu Goeldi.
Exemplar do Muiracatiara (Astronium lecointei Ducke) no catálogo do Museu Goeldi.

O Museu Goeldi lançou no começo do mês o novo portal do Programa de Pesquisa em Biodiversidade da Amazônia Oriental. O site agrega informações dos seis Núcleos Regionais que compõem  a Rede da Amazônia Oriental e disponibiliza as bases de dados em botânica e zoologia da região, que envolve os Estados do Pará, Amapá, Mato Grosso, Maranhão e Tocantins.
 
Além de notícias sobre treinamentos, eventos, informes e um acervo digital que abriga livros, exposições virtuais e imagens, o portal também disponibiliza capítulos de livros, artigos, resumos, teses e dissertações produzidas pelos pesquisadores da Rede.
 
As informações sobre coleções científicas em botânica podem ser acessadas através do acervo Herbário e os dados sobre zoologia no portal das Coleções Zoológicas do Museu Goeldi.
 
O novo portal do Programa de Pesquisa em Biodiversidade – PPBio Amazônia Oriental pode ser acessado neste link.

 

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta