Notícias

Guia: as aves da Amazônia

A 3ª edição dos populares pôsteres da Reserva Rio das Furnas está disponível. Confira o trabalho de Renato Rizzaro sobre as aves amazônicas.

3 de junho de 2013 · 8 anos atrás
Detalhe do poster: Aves raríssimas com registros somente no Parna Viruá, em Caracaraí (RR). | Clique para ampliar
Detalhe do poster: Aves raríssimas com registros somente no Parna Viruá, em Caracaraí (RR). | Clique para ampliar

Desde 2010, o fotógrafo Renato Rizzaro e sua esposa Gabriela Giovanka têm elaborado cartazes sobre as aves nacionais, baseados nas fotografias e pesquisas realizadas nos últimos 10 anos em expedições pelos biomas brasileiros. A ideia da dupla é percorrer os biomas brasileiros e desenvolver um pôster para cada ecossistema.

Até agora, lançaram os pôsteres Aves da Mata Atlântica, em 2010, e Aves do Pantanal, em 2012. No segundo semestre de 2012, o casal foi ao Amazonas e o resultado é o mais recente pôster “Aves da Amazônia”, com 74 espécies de pássaros da região. Como nas edições anteriores, as fotos são de Renato Rizzaro, que também tratou as imagens; Gabriela Giovanka fez a revisão bibliográfica e Vítor Piacentini, a revisão científica. O apoio institucional é da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental – SPVS.

Nesta edição, o pôster da Amazônia contou também com o apoio de 5 fotógrafos, que cederam 7 imagens para o projeto: Dalci Oliveira, ornitólogo e professor da Universidade Federal de Mato Grosso, cedeu a foto do Ferreirinho-de-sobrancelha (Todirostrum chrysocrotaphum); Edson Endrigo, reconhecido fotógrafo e guia ornitológico, participou com as fotos da Aribamba-do-paraíso (Galbula dea) e Saíra-ouro (Tangara schrankii); Edson Vargas Lopes, professor/ornitólogo da Universidade Federal do Pará, cedeu as fotos do Macuru-de-testa-branca (Notharchus hyperrhychus) e Rapazinho-de-colar (Bucco capensis); Gilberto Nascimento, guia e guarda-parque do PARNA do Amazônas, participou com a Ararajuba (Guaruba guarouba) e Thiago Orsi Laranjeiras, que cedeu a imagem do raríssimo Fura-flor-grande (Diglossa major).

O projeto nasceu de um desejo do casal de apresentar as aves para alunos do ensino fundamental por todo o país, reproduzindo um trabalho já desenvolvido por eles na Escola de São Leonardo e no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil-PETI, em Santa Catarina. Hoje, além das fotos que compõem os pôsteres, eles realizam com as crianças dos locais que visitam a atividade “Roda dos passarinhos”, onde ensinam – e aprendem -, sobre pássaros do bioma local e do resto do país.

Os pôsteres podem ser adquiridas via email ou por correios. O custo é de 30 reais (mais frete) pelo pôster Aves da Amazônia, com descontos na compra de edições anteriores. Todos os pôsteres têm alta qualidade de impressão, detalhes em cores vivas, nomes científicos e populares das aves e possui a opção bilíngue (inglês/português). Os valores arrecadados com as vendas colaboram com as futuras expedições.

Clique nas imagens para ampliá-las e ler as legendas
Pôster Aves da Amazônia
Pôster Aves da Amazônia

*editado: 04/06 – às 08h30


Serviço
Para solicitação do cartaz, envie e-mail para [email protected]
Para maiores informações sobre o projeto visite o blog Rio das Furnas

Leia Também
Guia: as aves do Pantanal
Guia: as aves da Mata Atlântica
As aves de toda uma vida

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta