Notícias

Maioria dos municípios da Amazônia tem IDHM baixo ou médio

Levantamento aponta que apenas 78 dos 772 municípios localizados na Amazônia Legal têm Índice de Desenvolvimento Humano considerado alto

Daniel Santini ·
2 de agosto de 2013 · 8 anos atrás

A maior parte dos municípios situados na Amazônia Legal brasileira tem Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) considerado baixo ou médio. É o que indica o Atlas de Desenvolvimento Humano, levantamento apresentado nesta semana baseado em dados de 2010. Dos 772 municípios amazônicos, 671 estão nesta faixa, sendo 305 baixo e 366 médio, e apenas 78 têm IDHM considerado alto. Em nenhum, o índice foi considerado muito alto. A discrepância em relação a outras regiões do país é grande e indica a necessidade de políticas sociais e econômicas para promover o desenvolvimento humano da região. Conciliar o avanço com a preservação da floresta é um dos principais desafios para os gestores públicos.

Apesar da região estar ainda bastante atrás do restante do Brasil no quesito, é possível perceber, com base nas informações divulgadas, o crescimento do IDHM na região nas últimas décadas. Em vermelho, nos mapas abaixo, estão os municípios com o índice considerado muito baixo, que eram maioria em 1991 e 2000.

Hoje, os municípios com pior IDHM da região estão entre os piores do país. É o caso de Melgaço, no Pará, que ficou na última posição no ranking nacional. Na tabelo abaixo, é possível visualizar os dez municípios com pior IDHM da Amazônia Legal e os dez mais bem posicionados.

Baixe as informações que embasaram esta datareportagem. Clique aqui para obter uma tabela em excel ou em arquivo tipo .csv, com a relação de IDHM de todos os munípios da Amazônia Legal.

 

 

 

  • Daniel Santini

    Responsável pela plataforma ((o)) eco Data. Especialista em jornalismo internacional, foi um dos organizadores da expedição c...

Leia também

Reportagens
25 de outubro de 2021

Exploração ilegal de madeira aumenta no Mato Grosso e chega a 88,3 mil hectares em 2020

Ilegalidade atinge 38% da área total utilizada para extração de madeira no estado. Mais de 10 mil hectares explorados de forma ilegal foram em áreas protegidas

Análises
25 de outubro de 2021

Como frear crises hídricas, as atuais e as futuras?

Acompanhamos de perto, por aqui, uma expansão imobiliária desordenada, que, à luz do dia, destrói nascentes e despeja esgoto diretamente em cursos d’água

Reportagens
25 de outubro de 2021

Como os estados cuidam da Amazônia: comparamos dados de proteção, orçamento e desmatamento

Análise exclusiva do ((o))eco se debruça sobre dados ambientais dos nove estados da Amazônia Legal para compreender diferenças e semelhanças nas políticas públicas regionais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta