Notícias

Termina incêndio no Parque Ecológico de Serra de Jaraguá

Após quatro dias de queimada intensiva, unidade de conservação de quase 3 mil hectares perdeu 65% de seu território para as chamas.

Redação ((o))eco ·
12 de agosto de 2013 · 9 anos atrás

O incêndio no Parque Ecológico de Serra de Jaraguá, na região central de Goiás, que começou na terça-feira (06), está sob controle, segundo informou neste domingo (11) o Corpo de Bombeiros. Estima-se que o fogo tenha consumido 65% da unidade de conservação, após 4 dias de queimada intensa.

Foram mobilizados 52 homens para combater as chamas. Na quinta-feira, os 3 focos que haviam se alastrado a partir do paredão Norte do parque foram controlados, mas surgiu um novo foco em outra área do parque. A suspeita é que os dois incêndios tenham sido provocados. O primeiro teria ocorrido por queima de uma casa de marimbondos; e o segundo por fazendeiros que tentaram realizar a queima controlada do pasto, mas o fogo se alastrou.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. O Parque Ecológico da Serra de Jaraguá é uma unidade de conservação integral criada pelo governo do estado de Goiás em 1998. Tem uma área de mais de 2 mil e 800 hectares (Veja o mapa).

Com o início do tempo seco, a partir de maio, está aberta a temporada de queimadas. Só em Goiás, do dia 01 de agosto até hoje, foram registrados 202 focos de incêndio pelo sistema de monitoramento de focos de queimados e incêndios do INPE/CPTEC.

 

 

Leia Também
Incêndios e queimadas ao redor do mundo
Previsão de fogo para a Amazônia
Cinzas sobre o verde

 

 

 

Leia também

Notícias
10 de agosto de 2022

Amazonas tem seis das dez áreas protegidas mais ameaçadas do bioma

Estudo realizado pelo Imazon revela ameaças e pressões de desmatamento em unidades de conservação e terras indígenas na Amazônia entre abril e junho

Notícias
10 de agosto de 2022

ALMT adia votação do projeto que libera caça esportiva no Mato Grosso

Autor da proposta, o deputado Gilberto Cattani (PL) quer aumentar a “interação homem e natureza”. As espécies que poderão ser caçadas serão decididas pelo Executivo

Reportagens
10 de agosto de 2022

Complexo ameaça uma das últimas regiões livre de barramentos nas nascentes do Pantanal

Rio Cabaçal é alvo de projeto que prevê a construção de quatro PCHs e duas CGHs. Fragilizada pelo assoreamento, bacia do curso d'água pode sofrer com fortes impactos na qualidade da água

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta