Notícias

Direito de resposta a Sra. Silvana Canuto

((o))eco falhou ao não ouvir a então diretora do ICMBio ao noticiar a sua saída do órgão e, por isso, publica crítica enviada por Silvana.

Eduardo Pegurier ·
6 de setembro de 2013 · 8 anos atrás

A Sra. Silvana Canuto, ex-diretora de Planejamento, Administração e Logística do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade), procurou ((o))eco para fazer uma crítica ao texto “Exonerada Silvana Canuto, a mulher forte do ICMBio” , que noticiou a sua saída do órgão, em abril de 2013.

Silvana apontou que ela não havia sido ouvida, principalmente no que tocava duas compras do ICMBio que ocorreram sua responsabilidade e que a matéria chamava de “polêmicas”.

Embora ouvi-la não seja uma obrigação do site, ela está certa: é prática essencial do jornalismo e, como editor, reconheço que ((o))eco falhou: Silvana deveria ter sido ouvida.

Minha sugestão foi que ela que nos encaminhasse a sua crítica para publicação. Segue abaixo, então, a carta de Silvana Canuto, que publicamos voluntariamente como direito de resposta.

 

Eduardo Pegurier, editor

 

Clique para ampliar

 

 

 

  • Eduardo Pegurier

    Mestre em Economia, é professor da PUC-Rio e conselheiro de ((o))eco. Faz fé que podemos ser prósperos, justos e proteger a biodiversidade.

Leia também

Reportagens
25 de outubro de 2021

Exploração ilegal de madeira aumenta no Mato Grosso e chega a 88,3 mil hectares em 2020

Ilegalidade atinge 38% da área total utilizada para extração de madeira no estado. Mais de 10 mil hectares explorados de forma ilegal foram em áreas protegidas

Análises
25 de outubro de 2021

Como frear crises hídricas, as atuais e as futuras?

Acompanhamos de perto, por aqui, uma expansão imobiliária desordenada, que, à luz do dia, destrói nascentes e despeja esgoto diretamente em cursos d’água

Reportagens
25 de outubro de 2021

Como os estados cuidam da Amazônia: comparamos dados de proteção, orçamento e desmatamento

Análise exclusiva do ((o))eco se debruça sobre dados ambientais dos nove estados da Amazônia Legal para compreender diferenças e semelhanças nas políticas públicas regionais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta