Notícias

Mudanças climáticas: chuvas alagam florestas na Bolívia

Entre áreas afetadas pelas inundações no país estão zonas cortadas por rios no meio da Amazônia. Por conta das enchentes, 44 morreram

Redação ((o))eco ·
6 de fevereiro de 2014 · 9 anos atrás

As chuvas que fizeram o Governo da Bolívia decretar estado de emergência na semana passada se agravaram e provocaram graves problemas em diferentes regiões do país. Entre as áreas mais atingidas estão o distrito de Beni, na Amazônia boliviana, com graves impactos em zonas florestais e em áreas de pecuária e agricultura. As precipitações têm ligação com variações climáticas que afetam diferentes zonas da América do Sul.

Ao anunciar que 2013 foi um dos dez anos mais quentes desde que o monitoramento da temperatura começou (leia informe em inglês), a Organização Meteorológica Mundial anunciou a previsão de variações mais extremas de temperatura, com precipitações intensas e inundações em algumas regiões, e secas prolongadas e outras. 

 

Leia também:
Bolívia: nova reserva de área úmida com 7 milhões de hectares
Incêndios põem Bolívia entre países com maior desmatamento
Queimadas voltam a afetar municípios da Amazônia boliviana

 

 

 

Leia também

Reportagens
27 de janeiro de 2023

Apib representa criminalmente ex-presidente Jair Bolsonaro por omissão na proteção do território Yanomami

Além do ex-mandatário, o ex-presidente da Funai, Marcelo Xavier e a ex-ministra e atual senadora Damares Alves são citados. A ação destaca possível incentivo para invasões da área protegida

Notícias
27 de janeiro de 2023

Mauro Mendes quer “desfederalização” do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães

É a primeira vez que um parque federal seria transformado em estadual no País, aponta Rede Pró-Unidades de Conservação. Alteração pode diminuir poder de acionar mecanismos de proteção

Notícias
27 de janeiro de 2023

Justiça federal e estadual avaliam três ações civis públicas contra Complexo Termelétrico em Macaé

Desabastecimento hídrico e poluição atmosférica estão entre as irregularidades apontadas pelo Instituto Arayara, que reivindica estudos fundamentais negligenciados no licenciamento

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta