Notícias

Alerj aprova projeto que cria reserva sustentável em Ilha Grande

Nova Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Aventureiro nasce da redução e recategorização de outras 2 unidades de conservação estaduais.

Redação ((o))eco ·
6 de maio de 2014 · 10 anos atrás

 

A Ilha Grande acaba de ganhar mais uma unidade de conservação. Foto: wikipédia.
A Ilha Grande acaba de ganhar mais uma unidade de conservação. Foto: wikipédia.

Deputados estaduais do Rio de Janeiro aprovaram a criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Aventureiro, na Ilha Grande. O projeto de lei 3.250/10, de autoria do deputado Carlos Minc (PT), ex-diretor da Secretaria de Ambiente do Estado, segue para sanção do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). A nova unidade de conservação nasce de uma área reduzida e outra recategorizada de outras 2 unidades.

A Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul teve 3% do seu tamanho reduzido e o Parque Estadual Marinho do Aventureiro virou a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Aventureiro. O objetivo da mudança é garantir a atividade de pesca pelos caiçaras que vivem na região. Com a sanção da lei, a pesca artesanal poderá ser praticada na região – sendo regulamentada por um conselho com participação de representantes dos caiçaras e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

“Em 2007, duplicamos o Parque Estadual da Ilha Grande, de 6 mil para 12 mil hectares, incluindo 12 praias, como a de Lopes Mendes. E atualmente, estão sendo construídas 6 estações de tratamento de esgoto biológico na ilha. Dessa forma, a Ilha Grande será mais protegida, com menos poluição e a garantia de preservação da cultura caiçara”, afirma Minc, de acordo com nota divulgada por sua assessoria de imprensa.

 

Leia Também
Ilha Grande em busca da pesca responsável
Imerso na baía Ilha Grande
APA Cairuçu, quando a proteção gera atentados à bomba

Leia também

Salada Verde
23 de fevereiro de 2024

Justiça Federal impõe mais de R$ 316 milhões em indenizações por desmatamento ilegal

Infrações ambientais foram identificadas pelo MPF por meio do Amazônia Protege, projeto que utiliza monitoramento por satélite para responsabilizar os atores dos desmatamentos ilegais

Notícias
23 de fevereiro de 2024

MPF no Acre arquiva denúncia da CPI das ONGs contra servidores do ICMBio

Servidores do órgão foram acusados de abusos contra moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre; para procurador, acusações são “genéricas e sem fato concreto”

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Antas “avisam” pesquisadores sobre contaminação humana por agrotóxicos no MS

Além de agrotóxicos como glifosato, moradores do sudeste do estado também apresentaram altos índices de metais no corpo. Antas atuaram como sentinelas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.