Notícias

Arthur Lira cria novo Grupo de Trabalho para discutir Código da Mineração na Câmara

Grupo anterior teve racha no final de 2021 e seu relatório não chegou a ser votado. Nova formação tem maioria pró-governo com histórico de atuação anti-ambiental

Cristiane Prizibisczki ·
27 de junho de 2022 · 2 anos atrás

Arthur Lira (PP/AL), presidente da Câmara dos Deputados, decidiu criar um novo Grupo de Trabalho (GT) para rediscutir o texto do Código da Mineração. A nova formação do GT, composta por maioria pró-governo, foi publicada no Diário Oficial da última quinta-feira (23).

A decisão de Lira acontece três meses após grande pressão na Câmara pela aprovação do regime de urgência no projeto de lei que libera a atividade de mineração dentro de Terras Indígenas.

O Código da Mineração é uma lei de 1967 que disciplina a extração, distribuição e comércio de produtos minerais no Brasil. Ao chegar à presidência da Câmara, no início de 2021, Arthur Lira criou um Grupo de Trabalho para “atualizar” o Código.

O texto gerado nas discussões deste grupo foi muito criticado pelo setor ambientalista, por conter inúmeros retrocessos ambientais. Entre eles estava a possibilidade de aprovação automática de mais de 90 mil requerimentos parados na Agência Nacional da Mineração (ANM). A redação proposta também interferiria na criação de novas unidades de conservação e dificultaria a demarcação de Terras Indígenas.

No final de 2021, no entanto, impulsionado por interesses conflitantes de mineradoras, o grupo sofreu um racha. Uma parcela relevante dos parlamentares que compunha o GT foi contrária ao texto da então relatora, deputada Greyce Elias (Avante-MG), e o documento não chegou a ser votado. 

O novo Grupo de Trabalho terá a relatoria do deputado Joaquim Passarinho (PL-PA). O parlamentar foi questionado por ((o))eco nesta segunda-feira (27) se o novo GT irá considerar o trabalho feito previamente por Greyce Elias, mas sua assessoria informou que o assunto ainda não foi tratado internamente. 

O que se sabe é que 12 dos 15 deputados que compõem o atual GT votam a favor da flexibilização das leis ambientais, conforme mostra o Monitor do Congresso desenvolvido por ((o))eco

Segundo a ferramenta  –  que traz dados gerais das votações sobre cinco propostas das mais nocivas ao meio ambiente que tramitam na Câmara – somente os deputados Airton Faleiro (PT-PA) e Odair Cunha (PT-MG) foram contrários às mudanças que afrouxam as normas relativas ao meio ambiente em temas como regularização fundiária, uso de agrotóxicos, licenciamento ambiental, mineração em Terras Indígenas e ao Código Florestal. 

O deputado João Roma (PL-BA) não consta no levantamento do Monitor do Congresso, pois estava licenciado do cargo para ocupar a cadeira de ministro da Cidadania entre fevereiro de 2021 e março de 2022.

Confira abaixo a nova formação do GT:

Filipe Barros (PL-RR) – Coordenador 

Joaquim Passarinho (PL-PA) – Relator 

Greyce Elias (Avante-MG) 

Zé Silva (Solidariedade-MG) 

Airton Faleiro (PT-PA) 

Odair Cunha (PT-MG)

Caroline de Toni (PL-SC) 

João Roma (PL-BA)

Neucimar Fraga (PP-ES) 

Evair Vieira de Melo (PP-ES)

Felipe Rigoni (União-ES) 

Coronel Chrisóstomo (PL-RO) 

Paulo Ganime (Novo-SP) 

Vermelho (PL-PR)  

Pinheirinho (PP-MG)

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
9 de março de 2022

Câmara aprova urgência no projeto que libera mineração em Terras Indígenas

Com 279 votos, deputados aprovaram requerimento para que projeto seja votado o mais rápido possível. Lira diz que projeto será votado em 30 dias

Salada Verde
14 de junho de 2024

Palmeiras chama atenção para o desmatamento ilegal em partida do Brasileirão

Em ação com sua fornecedora de material esportivo, o clube jogou sua última partida com dois modelos de camisa: no primeiro tempo, mais verde; no segundo, espaços em branco

Salada Verde
14 de junho de 2024

Filhote de onça-pintada é registrado no Parque Nacional do Iguaçu

Novo filhote, batizado de Yasú, que significa "amor", em Tupi, tem pouco mais de um ano de vida

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.