Notícias

Especialistas em harpia realizam oficina para discutir conservação da espécie

Oficina ocorre entre os dias 7 e 10 de junho, em Foz do Iguaçu, e tem como objetivo traçar estratégias para garantir a sobrevivência da maior ave de rapina brasileira na Mata Atlântica

Duda Menegassi ·
7 de junho de 2022

Começa nesta terça-feira (07), a Oficina de Avaliação de Manejo Integrado para Conservação da Harpia na Mata Atlântica que se estende até o dia 10 de junho, em Foz do Iguaçu, no Paraná. O evento reúne especialistas na maior ave de rapina brasileira, em translocação e na conservação da natureza, tanto do Brasil quanto do exterior, para discutir estratégias para proteção da espécie, com foco nas florestas do sul do país e nos vizinhos, Argentina e Paraguai.

A harpia (Harpia harpyja) é considerada Vulnerável à extinção, de acordo com a última avaliação nacional do ICMBio. Apesar de estar distribuída amplamente pelo Brasil, um estudo divulgado em 2019 mostra que a ave já perdeu mais de 40% do seu habitat natural e tem ficado cada vez mais restrita à Amazônia, onde ainda encontra boas florestas para sobreviver.

A oficina é uma das ações do convênio firmado entre a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) e a Itaipu Binacional. E tem como objetivo montar uma estratégia para que a harpia não desapareça da Mata Atlântica. No Refúgio Biológico Bela Vista, criado pela Itaipu em 1994, é desenvolvido desde 2009 um programa de reprodução da ave de rapina, onde já nasceram 56 harpias, das quais 38 sobreviveram. Atualmente o local conta com seis casais reprodutores.

Além da SPVS e Itaipu Binacional, a Oficina também conta com o apoio da IUCN SSC Grupo Especialista em Planejamento de Conservação (CPSG) | Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil (CSE Brasil), Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil (AZAB).

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica. Escreve para ((o))eco des...

Leia também

Reportagens
5 de agosto de 2021

A curiosidade (dos outros) matou a harpia

Pesquisa realizada no norte de Mato Grosso registrou 148 abates de harpias em apenas dois anos por moradores rurais “curiosos” em ver de perto a maior ave de rapina do Brasil

Salada Verde
20 de abril de 2021

Câmeras de monitoramento flagram cena rara de reprodução de harpias

Num registro raríssimo, câmeras instaladas por projeto de monitoramento flagram um casal de harpias durante seu ato sexual

Reportagens
8 de novembro de 2020

Onde as harpias dormem: protegendo ninhos da maior águia do mundo

Árvores utilizadas para a nidificação da maior águia do mundo também são visadas por sua madeira. Tendo em mãos este impasse, três pesquisadores em conversas improváveis sugerem saídas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta