Fotografia

Fogo que consome o sul do Pará há 16 dias já destruiu mais de 5 mil hectares de floresta

Entre as áreas atingidas está o Refúgio de Vida Silvestre Rios Benedito e Azul; Além de matar animais e plantas, chamas já ameaçam pousadas na região

Cristiane Prizibisczki ·
6 de setembro de 2022 · 1 anos atrás

Há 16 dias, o fogo consome grandes porções de floresta do sul do Pará, divisa com Mato Grosso. No Refúgio de Vida Silvestre Rios São Benedito e Azul, bacia do Rio Teles Pires, as chamas já consumiram cerca de 5 mil hectares.

Com a estiagem na região e ventos fortes, as labaredas estão ainda fortes e o fogo, incontrolável. As chamas já invadiram a área da aeronáutica da Serra do Cachimbo, colocando 2 milhões de hectares de vegetação nativa sob risco.

Em algumas áreas, como é possível ver nas imagens e vídeos da galeria abaixo, quase nada sobrou. Os animais lutam para fugir das chamas e das cinzas da devastação. O fogo também já chega perto de pousadas e casas. Hóspedes foram evacuados.

“A chance de não sobrar nada na região é muito grande”, diz a diretora-executiva da Rede Pró-UC, Angela Kuczach. A organização, junto com outras locais, como o Observatório Socioambiental de Mato Grosso (Observa-MT), tem monitorado a área desde o início do incêndio.

A queimada de grandes proporções na região sul do Pará teve início logo após o fogo consumir cerca de 4 mil dos 118 mil hectares do Parque Estadual Cristalino II, localizado ao norte de Mato Grosso e a cerca de 100 km do local que agora está queimando. Segundo a Rede Pró-UC e parceiros, vários focos ainda estão ativos na região.

Estiagem e ventos fortes dificultam controle das chamas. O que resta após a passagem do fogo é destruição. Vídeo: Pousada Benedito.

Imagens aéreas da região do Rio São Benedito. Imagens mostram fogo ativo consumindo a mata e o resultado da passagem das chamas Fotos: Pousada São Benedito.

 Devastação provocada pelo fogo na área que antes era floresta entre as pousadas Thaimaçu e São Benedito, no sul do estado do Pará, próximo à divisa com o Mato Grosso. Foto: Pousada São Benedito.

Um grupo de queixadas (Tayassu pecari) tenta encontrar um novo local para viver, depois da área em que habitava ser destruída pelo fogo. Fotos: Pousada São Benedito.

Vídeo mostra o que sobrou da área após vegetação ser consumida pelo fogo. Região do Rio São Benedito. Vídeo: Pousada São Benedito.
  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
16 de agosto de 2022

Alvo de imbróglio jurídico, Parque Cristalino II perde quase 900 hectares em queimada ilegal

Ainda não é possível dizer se incêndio foi intencional, mas organizações alertam para “coincidência” entre fato e decisão da justiça pela extinção da unidade

Notícias
1 de setembro de 2022

Amazônia tem recorde de queimadas em agosto; número é o maior dos últimos 12 anos

Bioma registrou mais de 31 mil focos de calor no período, número 20% acima da média histórica para o mês. No ano, já foram quase 45 mil focos registrados

Notícias
5 de setembro de 2022

Dia da Amazônia – 10 fatos para entender o bioma em 2022

Com recorde em desmatamento e queimadas, devastação aproxima o bioma do ponto de não retorno. Dados negativos ofuscam comemoração da data

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.