Notícias

Vídeo: O que aconteceu com a ave mais abundante do século XIX? por Fernando Fernandez

A história da pomba migratória (Ectopistes migratorius) é um conto sobre excesso de demanda e futura escassez. Considera a ave mais abundante do século XIX, a pomba não resistiu à pressão da caça e torneios de tiro

Daniele Bragança · Marcio Isensee e Sá ·
22 de agosto de 2018 · 6 anos atrás
Fotografia de uma fêmea viva no aviário de Charles Whitman (1896/98). Foto: Wikipédia.

A história da pomba migratória (Ectopistes migratorius) é um conto sobre excesso de demanda e futura escassez. Considera a ave mais abundante do século XIX, a pomba não resistiu à pressão da caça e torneios de tiro.

Os avisos de que ela poderia se extinguir foram vistos com ceticismo e zombaria. No início do século XX, dois anos após o Titanic atravessar o Atlântico e bater em um iceberg, a última pomba existente em cativeiro morreu.

Em pleno CBUC,  o biólogo e professor do Instituto de Biologia da UFRJ, Fernando Fernandez, contou a ((o))eco um pouco dessa história. Assista:

 

 

 

Leia Também

Vídeo: Como as aves voam? por Guilherme Brito

https://www.oeco.org.br/colunas/colunistas-convidados/vida-das-aves-alfred-russel-wallace-o-velho-marinheiro-e-a-extincao-de-especies/

O efeito do equinócio sobre o canto dos sabiás

 

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

  • Marcio Isensee e Sá

    Marcio Isensee e Sá é fotógrafo e videomaker. Seu trabalho foca principalmente na cobertura de questões ambientais no Brasil.

Leia também

Análises
1 de outubro de 2013

O efeito do equinócio sobre o canto dos sabiás

A data do ano em que dia e noite tem a mesma duração também aciona uma cadeia de acontecimentos que culmina com a reprodução do sabiá

Vídeos
19 de agosto de 2018

Vídeo: Como as aves voam? por Guilherme Brito

Exuberantes, diversas e encontradas em quase todo lugar, as aves evoluíram para conseguir voar. Neste vídeo, o biólogo da UFSC explica como elas conseguem tal façanha

Colunas
17 de junho de 2024

Amnésia climática

Os governos esquecem os acordos iniciados que poderiam salvar milhões de vidas e alimentam o aumento da extração e uso de combustíveis fósseis

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.