Notícias

Vídeo: Qual a importância das PMs ambientais na gestão das unidades de conservação? por Adilson Sperfeld

Apenas 7 mil e 500 policiais militares atuam nos 27 Estados da federação. Eles são responsáveis por combater crimes ambientais dentro e fora das áreas protegidas

Daniele Bragança · Marcio Isensee e Sá ·
13 de agosto de 2018 · 4 anos atrás
Foto: Helder Medeiros/Pelotão Ambiental de Caico-RN.

A farda é parecida com a do Exército e se distingue por detalhes próprios para cada unidade federativa. Os policiais militares que trabalham nos batalhões ambientais não são muitos, chegam a cerca de 7.500 no país todo, mas exercem uma função importantíssima, combater crimes ambientais dentro e fora das Unidades de Conservação.

As quase 10 mil ocorrências registradas por ano em todo o país na sua maioria são crimes contra a fauna. Em grande parte, trabalham em operações montadas em conjunto com gestores de áreas protegidas para combater um ponto de caça ou, fora da unidade, alguma feira clandestina de venda de animais silvestres.

Em entrevista a ((o))eco, o Coronel Adilson Schlickmann Sperfeld, comandante do Policiamento Militar Ambiental de Santa Catarina explica o papel desse profissional na gestão das Unidades de Conservação.

 

Assista:

 

Leia Também

Ângelo Rabelo: “Policiamento ambiental deve enfatizar prevenção”

Sem equipamentos adequados, guarda-parques se arriscam no Rio Grande do Sul

Guarda-parque: uma vocação exercida ao redor do mundo

 

 

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

  • Marcio Isensee e Sá

    Marcio Isensee e Sá é fotógrafo e videomaker. Seu trabalho foca principalmente na cobertura de questões ambientais no Brasil.

Leia também

Análises
8 de janeiro de 2015

Guarda-parque: uma vocação exercida ao redor do mundo

Sob risco e condições duras, eles trabalham nos parques e áreas protegidas para desenvolvê-las, garantir sua integridade e lidar com o público

Reportagens
31 de julho de 2018

Sem equipamentos adequados, guarda-parques se arriscam no Rio Grande do Sul

Profissionais que cuidam da linha de frente das unidades de conservação se expõem a riscos por falta de capacitação de trabalham e lutam pela reconhecimento da profissão

Notícias
12 de agosto de 2022

Monitoramento de baleias no Rio registra trânsito de 58 baleias próxima das ilhas Cagarras

Desde o ano passado, o Projeto Ilhas do Rio acompanha o corredor migratório das jubartes pelo litoral do Rio. Pesquisadores alertam para grande volume de lixo na rota das baleias

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta