Reportagens

Chamadas internacionais

O negócio complicou neste último dia da 13ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas. Diversos grupos ministeriais estão...

Gustavo Faleiros ·
14 de dezembro de 2007 · 16 anos atrás

O negócio complicou neste último dia da 13ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas. Diversos grupos ministeriais estão reunidos tentando achar uma linguagem apropriada para o texto final do encontro. A questão é como ter uma declaração que ao mesmo tempo inclua as metas de redução de gases de efeito estufa para países desenvolvidos e agrade os Estados Unidos, que até agora estão contrários a menção numérica de corte de emissões.

De acordo com um observador das conversas, essas estratégias de negociação já começaram a envolver o mais alto escalão dos governos. Telefonemas dos prêmies europeus Angela Merkel (Alemanha) e Gordon Brown (Reino Unido) para colegas de outros países devem acontecer nesta sexta na tentativa de um acordo em Bali. O ex-presidente chileno, Ricardo Lagos, circula nos corredores da conferência, como emissário do secretário da ONU, Ban Ki-moon, tentando viabilizar um acordo.

Tudo indica também que as críticas para lá de agressivas de Al Gore, feitas nesta quinta, ao governo de George W. Bush, surtiram um efeito positivo. A Casa Branca, relatam observadores, deu instruções à delegação americana em Bali para evitar que os Estados Unidos sejam responsabilizados pelo fracasso das negociações. A brecha para um acordo começa se abrir.

Mas a que horas este acordo sairá, só Deus sabe. Marcada para terminar hoje, a negociação provavelmente vai se prolongar noite adentro. Nas palavras do secretário-executivo da Convenção do Clima, Yvo de Boer, os delegados “mais sábios, não marcaram seus vôos para antes de sábado à noite.”

  • Gustavo Faleiros

    Editor da Rainforest Investigations Network (RIN). Co-fundador do InfoAmazonia e entusiasta do geojornalismo. Baterista dos Eventos Extremos

Leia também

Salada Verde
23 de fevereiro de 2024

Justiça Federal impõe mais de R$ 316 milhões em indenizações por desmatamento ilegal

Infrações ambientais foram identificadas pelo MPF por meio do Amazônia Protege, projeto que utiliza monitoramento por satélite para responsabilizar os atores dos desmatamentos ilegais

Notícias
23 de fevereiro de 2024

MPF no Acre arquiva denúncia da CPI das ONGs contra servidores do ICMBio

Servidores do órgão foram acusados de abusos contra moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre; para procurador, acusações são “genéricas e sem fato concreto”

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Antas “avisam” pesquisadores sobre contaminação humana por agrotóxicos no MS

Além de agrotóxicos como glifosato, moradores do sudeste do estado também apresentaram altos índices de metais no corpo. Antas atuaram como sentinelas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.