Reportagens

Novos números sobre CO2

Novos dados sobre concentração de CO2 da atmosfera mostram a menor taxa de 2009. Mas não se iluda, nunca houve tanto gás carbônico na atmosfera como agora.

Redação ((o))eco ·
16 de novembro de 2009 · 13 anos atrás

A Agência de Administração de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA) divulgou a medição da concentração de gás carbônico (CO2) durante o mês de outubro: 384,79 parte por milhão. É a concentração mais alta registrada para esta época do ano em toda história das medições, embora este seja o nível mais baixo de 2009.  As medições de concentrações de CO2 na atmosfera são feitas na estação de Mauna Loa, no Havaí, o mais antigo observatório de gases de efeito estufa no mundo.

As razões para a baixa concentração em outubro em comparação com outros meses do ano, se deve a uma série de fatores ligados a variações de temperatura que alteram a absorção de CO2 pela vegetação e os oceanos. Mas como mostra a pequena charge abaixo, comparando outubro deste ano com o mesmo período há 20 anos, o incremento do gás estufa é notável, de 350 ppm para 384. E como diz a mensagem saída da torradeira, se não quisermos tostar o planeta é melhor mesmo começar a cortar as emissões. Para mais informações sobre a concentração histórica de CO2, visite o site CO2 Now 

Saiba mais

Leia o Especial Copenhague d´ O Eco

Leia também

Notícias
15 de agosto de 2022

Licença de operação de termelétricas na Baía de Sepetiba é suspensa pelo Inea

É o segundo revés sofrido pelo empreendimento energético em uma semana. Na terça-feira, a Aneel revogou a outorga de autorização ao projeto por descumprimento de prazos

Notícias
15 de agosto de 2022

Bolsonarismo resiste na Amazônia, mas eleitores se dividem no voto a voto

É apenas na região Norte que Jair Bolsonaro lidera na pesquisa espontânea. Na estimulada, quando os eleitores são apresentados aos nomes dos concorrentes, Lula aparece em primeiro lugar, porém ambos empatam tecnicamente

Reportagens
15 de agosto de 2022

Governadores da nova fronteira do desmatamento buscam reeleição

A criação de uma zona do agronegócio na divisa do Acre, Amazonas e Rondônia (ainda) não avançou, mas a devastação da floresta disparou. Mas nada disso parece mudar a vontade do eleitorado da região

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta