Reportagens

Festa ambiental

Em sua 15ª edição, Feira do Verde é o principal evento ambiental do Espírito Santo, reunindo poder público, projetos sociais, empresários e muitas crianças.

Tamara Ramos ·
1 de outubro de 2004 · 20 anos atrás

Em 1991, a prefeitura de Vitória criou a Feira do Verde. O objetivo era implantar um projeto de paisagismo na capital capixaba, que havia se tornado um ambiente árido e pouco arborizado. Este ano o evento chega à sua 15ª edição numa cidade transformada. Vitória tem 15 parques municipais e a maior área verde por habitante do país.

A Feira do Verde aconteceu entre os dias 21 e 26 de setembro, com o tema “Meio ambiente, responsabilidade de todos”. O visitante que passeia pelos 5.200 m2 do Parque Pedra da Cebola não imagina que no início do projeto havia apenas 8 prateleiras expostas em um ambiente de 200 m2.

“A Feira do Verde, antes, era procurada principalmente pelas donas de casa que buscavam dicas de jardinagem e cuidados com as plantas em geral. Não havia a preocupação com as questões ambientais e era difícil conseguir patrocínio para apoiar o evento. As grandes empresas não queriam participar da Feira por não valorizarem as questões ambientais e as ONGs não tinham recursos suficientes”, conta a coordenadora da Feira e diretora de Educação Ambiental da Prefeitura de Vitória, Maria Aparecida Chiesa.

Com a crescente importância das temáticas ambientais na última década, a Feira do Verde acabou virando uma vitrine para as principais empresas do Espírito Santo divulgarem suas ações na área, lado a lado com importantes projetos da sociedade civil. Disputaram as atenções na Feira de 2004 a Petrobrás, a Companhia Vale do Rio Doce, a Aracruz Celulose, a Companhia Siderúrgica de Tubarão, a Samarco e o Projeto Tamar, entre outros.

A Petrobrás, por exemplo, montou uma reprodução dos recifes de corais que se formam embaixo das plataformas de petróleo e projeta vídeos educativos para as crianças. O Programa de Auxílio Mútuo dos Terminais Marítimos do Espírito Santos (Proammar-ES) está expondo diversos equipamentos de combate à poluição marinha causada por derrame de óleo.

Em um auditório, aconteceu a “Programação Técnica” do evento, com oficinas e seminários sobre meio ambiente envolvendo comunidades, projetos sociais e representantes dos Ministérios do Meio Ambiente e do Turismo, além dos governos estadual e municipais. Foram debatidos temas como “Turismo Sustentável e Políticas Públicas” e “Expectativas da sociedade capixaba sobre a gestão de recursos hídricos”, e lançados livros e cartilhas. As propostas resultantes dos debates serão levadas ao Fórum Nacional do Meio Ambiente, que ocorre no mês de novembro em Goiânia.

Paralelas à conversa dos adultos, foram promovidas atividades variadas em estandes ricos e coloridos, especialmente voltados para o público infantil. As escolas encheram o Parque de crianças, seja apenas visitando seja apresentando seus trabalhos de Educação Ambiental. Somente numa manhã, passaram pela Feira do Verde quase 4 mil crianças.

A programação diária só é encerrada à noite, e em clima festivo: atrações musicais tornaram o Parque um ponto de encontro da juventude.

Sem contar os shows noturnos, estima-se que o público total da Feira do Verde em 2004 tenha ultrapassado 90 mil pessoas. Se a conscientização ambiental é capaz de transformar a realidade, é de se esperar que Vitória continue mudando para melhor.

Leia também

Análises
13 de junho de 2024

Crises ambientais, governança democrática e direitos: quantos alertas ainda serão necessários?

Que os 365 dias de cada ano sejam oportunidades de ações e condutas com responsabilidade para com a integridade ambiental e justiça social planetária

Notícias
13 de junho de 2024

Evento pré-COP termina sem acordo sobre principal tema a ser discutido em Baku

Conferência de Bonn repete a disputa histórica entre países ricos e pobres sobre financiamento climático e provoca efeito dominó nas outras decisões da pauta

Notícias
13 de junho de 2024

Corte de árvores em obra da nova sede da Secretaria de Meio Ambiente de Manaus gera polêmica

Denúncias apontam descumprimento de uma recomendação do Ministério Público do Amazonas. Órgão cortará 132 árvores. Prefeitura minimiza impactos

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.