Reportagens

Início da COP21: colchões infláveis, furtos de garrafinhas e o fóssil do dia

África do Sul se prepara para longas negociações, brinde estiloso testa caráter dos participantes e Nova Zelândia empata a Bélgica como vencedoras do pior troféu

Claudio Angelo · Cíntya Feitosa ·
1 de dezembro de 2015 · 8 anos atrás
01122015-gobi-cop21
Garrafinha Gobi, tão desejada quanto um acordo, neste início de conferência. Foto: divulgação

VAI QUE…

A África do Sul comprou colchões infláveis para mobiliar a sala de sua delegação no pavilhão da COP21. Os africanos estão prevendo várias madrugadas de negociações intensas na semana que vem.

NOBREZA

O evento sobre florestas do qual participaram o príncipe Charles e o rei Gustavo, da Suécia, na manhã de terça-feira, teve uma cena inusitada: no painel da Indonésia, o moderador e os panelistas começaram a brigar, e o próprio moderador surpreendeu ao responder, ele mesmo, a uma das perguntas da plateia. “Esta pergunta é para o governo, mas eu vou responder como cidadão”.

A COBIÇADA

O objeto do desejo da COP21 é a Gobi, uma garrafa d’água estilosa que os delegados recebem de brinde num “pacote de boas-vindas” da conferência. Gobis sem nome na etiqueta são surrupiadas impiedosamente – para desgosto profundo dos proprietários, já que ninguém tem direito a uma segunda.

FÓSSIL DO DIA

O primeiro Fóssil do Dia de Paris, o antiprêmio concedido pelas ONGs a quem mais atrapalha as negociações, foi dado à Nova Zelândia e à Bélgica na segunda-feira. A Nova Zelândia recebeu o troféu por declarar que lidera a reforma dos subsídios aos combustíveis fósseis e ao mesmo tempo aumentar o financiamento à produção de combustíveis. A Bélgica, entre outras coisas, porque seu ministro do Meio Ambiente perdeu o trem para a abertura da COP por estar ocupado reativando usinas nucleares.

RAIO DO DIA

Um raro prêmio de incentivo dado pela Climate Action Network, uma coalizão de 950 entidades, foi concedido nesta terça-feira. O Raio do Dia foi para o grupo de 43 países do Fórum das Nações Vulneráveis, cujos líderes anunciaram um compromisso de descarbonizar suas economias em 2050 – e, desta forma, tentar evitar um aquecimento global de mais de 1,5ºC neste século.

 

Veja aqui toda a cobertura da COP21, uma parceria com o Observatório do Clima logo-observatorio-clima

 

 

Leia também
Conferência do clima começa em Paris

 

 

 

  • Claudio Angelo

    Jornalista, coordenador de Comunicação do Observatório do Clima e autor de "A Espiral da Morte – como a humanidade alterou a ...

Leia também

Reportagens
30 de novembro de 2015

Conferência do clima começa em Paris

COP21 é o maior encontro de chefes de Estado e governo fora da sede das Nações Unidas. Sessão de abertura tem declarações otimistas e reforça necessidade de compromisso político e moral

Salada Verde
22 de abril de 2024

Livro destaca iniciativas socioambientais na Mata Atlântica de São Paulo

A publicação traz resultados do Projeto Conexão Mata Atlântica em São Paulo, voltados para compatibilização de práticas agropecuárias com a conservação da natureza

Salada Verde
22 de abril de 2024

Barcarena (PA) é o primeiro município a trabalhar a cultura oceânica em 100% da rede pública de ensino

Programa Escola Azul incentiva instituições de ensino de todo o país a integrar a rede e implementar cultura oceânica nas escolas. Mais de 290 escolas de todo o Brasil participam do projeto

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 2

  1. Bruno diz:

    O que seria menos pior, usinas nucleares ou nossas "renováveis" usinas hidroelétricas…


  2. Vandre diz:

    Hei, vamos dar uma folga a o Ministro da Bélgica. Ele foi de trem!!! A nossa era bem capaz de chegar num comboio de SUVs!