Salada Verde

Risco para a APA de Maricá

Projeto de Lei libera construções em partes da Área de Preservação Ambiental de Maricá (RJ). Ambientalistas temem futuros impactos ambientais

Felipe Lobo ·
30 de junho de 2010 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Maricá e suas lagunas. Foto: Secretaria do Ambiente/RJ.

Rio de Janeiro – No último mês de maio, a Câmara dos Vereadores de Maricá (RJ) aprovou, na íntegra, o texto do projeto de lei que permite a urbanização de 12% da restinga da Área de Preservação Ambiental (APA) da cidade.

Ainda não existe nenhum pedido de licenciamento para empreendimentos no interior da unidade de conservação feito ao Instituto Nacional do Ambiente (Inea), mas há a suspeita de que um grupo europeu tenha adquirido a área. Leandro Gomes e Silva, chefe da APA, afirma que, justamente por não haver qualquer proposta formal de construção, o movimento ambientalista olha com desconfiança para a nova regulamentação, que deve ser sancionada pelo prefeito em breve.

“Existem muitos valores ambientais na área. Dentre eles, a ocorrência de uma espécie de “ Peixe das Nuvens”, o Leptolebias citrinipinnis, peixe ameaçado de extinção e endêmico das lagoas sazonais da APA Maricá, além do lagarto Liolaemos lutzae, existente apenas nas restingas do Rio de Janeiro e em perigo. Fora isso, há espécies raras de orquídeas e bromélias, mas também borboletas, besouros e libélulas.As falésias, formações raríssimas no litoral Fluminense e formações geológicas como os dois cordões arenosos de cinco e sete mil anos de idade são outros atrativos”, finaliza Leandro. (Felipe Lobo)

  • Felipe Lobo

    Sócio da Na Boca do Lobo, especialista em comunicação, sustentabilidade e mudanças climáticas, e criador da exposição O Dia Seguinte

Leia também

Salada Verde
1 de outubro de 2022

Pense no futuro da Amazônia e do planeta, vote pelo meio ambiente

Vá às urnas e vote VERDE. Vote por candidaturas que tenham real compromisso com a agenda ambiental

Notícias
30 de setembro de 2022

Queimadas na Amazônia em setembro atingem o pior número dos últimos 12 anos

No mês, foram computados quase 41 mil focos, número 143% maior do que setembro de 2021. Problema não é tratado nos Planos de Governo de presidenciáveis

Reportagens
30 de setembro de 2022

Mentiras que elegem: discurso verde esconde candidatos e financiadores  que “passam a boiada” na Amazônia Legal

Conheça os políticos e seus 240 financiadores de campanha multados no Ibama por destruir a floresta e favorecer o avanço da pecuária ilegal

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta