Salada Verde

Risco para a APA de Maricá

Projeto de Lei libera construções em partes da Área de Preservação Ambiental de Maricá (RJ). Ambientalistas temem futuros impactos ambientais

Felipe Lobo ·
30 de junho de 2010 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Maricá e suas lagunas. Foto: Secretaria do Ambiente/RJ.

Rio de Janeiro – No último mês de maio, a Câmara dos Vereadores de Maricá (RJ) aprovou, na íntegra, o texto do projeto de lei que permite a urbanização de 12% da restinga da Área de Preservação Ambiental (APA) da cidade.

Ainda não existe nenhum pedido de licenciamento para empreendimentos no interior da unidade de conservação feito ao Instituto Nacional do Ambiente (Inea), mas há a suspeita de que um grupo europeu tenha adquirido a área. Leandro Gomes e Silva, chefe da APA, afirma que, justamente por não haver qualquer proposta formal de construção, o movimento ambientalista olha com desconfiança para a nova regulamentação, que deve ser sancionada pelo prefeito em breve.

“Existem muitos valores ambientais na área. Dentre eles, a ocorrência de uma espécie de “ Peixe das Nuvens”, o Leptolebias citrinipinnis, peixe ameaçado de extinção e endêmico das lagoas sazonais da APA Maricá, além do lagarto Liolaemos lutzae, existente apenas nas restingas do Rio de Janeiro e em perigo. Fora isso, há espécies raras de orquídeas e bromélias, mas também borboletas, besouros e libélulas.As falésias, formações raríssimas no litoral Fluminense e formações geológicas como os dois cordões arenosos de cinco e sete mil anos de idade são outros atrativos”, finaliza Leandro. (Felipe Lobo)

  • Felipe Lobo

    Sócio da Na Boca do Lobo, especialista em comunicação, sustentabilidade e mudanças climáticas, e criador da exposição O Dia Seguinte

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta