Salada Verde

ONGs criticam novo secretário de Meio Ambiente de POA

Ex-deputado estadual Luiz Fernando Záchia, sem tradição na área ambiental, assume pasta da prefeitura de Porto Alegre sob protesto de ambientalistas. 

Redação ((o))eco ·
5 de fevereiro de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
O novo secretário Luiz Fernando Zácchia (foto: divulgação/PMDB-RS)
O novo secretário Luiz Fernando Zácchia (foto: divulgação/PMDB-RS)

Porto Alegre –  Nesta semana, o ex-deputado estadual Luiz Fernando Záchia (PMDB/RS) assumiu a função de novo Secretário de Meio Ambiente de Porto Alegre no governo de José Fortunatti (PDT). A cerimônia de posse, que ocorreu na garagem da instituição, foi diferente da habitual. Além das pessoas que foram prestigiar o evento, ambientalistas estiveram presentes fazendo um manifesto simples, pacífico e criativo. Estavam vestidos com uma camiseta preta estampada “(EU) LUTO PELA SMAM” (sigla de Secretária Municipal de Meio Ambiente).

Felipe Viana, do Instituto Econsciência, afirma que a manifestação buscou demonstrar a insatisfação com a maneira que a atual gestão municipal trata a primeira Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Brasil. A preocupação é relativa à ausência do critério técnico na escolha do secretário, pois afirma que o perfil de Záchia é o de estar comprometido muito mais com o setor produtivo do que com o meio ambiente. “A SMAM vem se transformando em um órgão meramente político e a serviço dos interesses econômicos em detrimento do interesse coletivo”, declara.

Ao final do evento de posse, os representantes de movimentos ambientais foram conversar com o novo secretário. Entre as demandas estão a manutenção de um Cinturão Verde para a área urbana de Porto Alegre, que compreende toda a zona rural, os morros e a Orla do Guaíba. A necessidade de uma Reorganização Urbana também foi salientada, pois as ações de infraestrutura para a Copa de 2014 ameaçam milhares de moradias pobres, o que resultará em uma mascarada ‘higienização da cidade’. “Sabemos que existe um plano de realocar vilas inteiras para a região extremo sul da capital, em um local distante 35 km do Centro, sem emprego e com transporte precário”, conta Viana.

O protesto deixou claro que os ambientalistas não estão satisfeitos com a maneira que a prefeitura vem escolhendo os seus secretários do Meio Ambiente. Já não é a primeira vez que políticos não reeleitos aos seus cargos ganham a pasta ambiental. Além de Záchia, a Secretaria já foi comandada por outros ex-deputados estaduais que não se reelegeram: José Alberto Wenzel, Adilson Troca e Mauro Sparta, todos do PSDB. (Flávia Moraes)

Leia também

Notícias
1 de dezembro de 2021

Audiência Pública discute projeto de lei que quer municipalizar áreas de preservação em Angra dos Reis

Projeto que altera gestão da APA Tamoios é da deputada Célia Jordão, esposa do prefeito de Angra. Cerca de 40 organizações se manifestaram contrárias ao PL

Reportagens
30 de novembro de 2021

Há 8 anos na Câmara, projeto que cria uma lei para o mar ainda não tem votação à vista

Série de reportagens investiga motivos da longa tramitação do projeto de lei que institui a Política Nacional para Conservação e o Uso Sustentável do Bioma Marinho Brasileiro

Salada Verde
30 de novembro de 2021

Trilha Transmantiqueira ganha reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente

A trilha de longo curso que cruza a Serra da Mantiqueira agora faz parte oficialmente do programa Rede Trilhas, para promover conectividade, conservação e turismo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta