Salada Verde

Parque de Itatiaia compra mais um imóvel

Processo de regularização continua. Após a compra de duas propriedades em dezembro, ICMBio assinou nova aquisição no dia 24.

Redação ((o))eco ·
25 de março de 2011 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Walter Behr (à esquerda) assina a escritura de compra do imóvel de 225.721 metros quadrados (foto: divulgação/ICMBio)
Walter Behr (à esquerda) assina a escritura de compra do imóvel de 225.721 metros quadrados (foto: divulgação/ICMBio)

O Parque Nacional de Itatiaia, mais antigo do país, continua o seu processo de regularização fundiária.

Após as duas primeiras desapropriações de imóveis particulares no interior da unidade de conservação, no último mês de dezembro, o chefe do parque, Walter Behr, revelou a ((o))eco que o terceiro sítio foi comprado.

Com recursos de compensação ambiental de Furnas S/A, a propriedade que pertencia a Jayme Monjardim Matarazzo, com 225.721 metros quadrados, passou para as mãos do Instituto Chico Mendes nesta quinta-feira (24).

Até a área preservada cumprir as regras do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), segundo as quais não é permitido qualquer terreno particular dentro de uma unidade de conservação de proteção integral, ainda falta um longo caminho. (Felipe Lobo)

Leia mais
Regularização fundiária avança em Itatiaia

Leia também

Análises
29 de novembro de 2021

Compatibilizar o incompatível é solução pra quê?

Querem mudar a Lei do SNUC através de um instrumento obtuso sem suporte científico, que ignora tudo que a legislação estabelece no que concerne à proteção da nossa biodiversidade

Salada Verde
29 de novembro de 2021

ICMBio abre concurso para 171 vagas

Edital publicado nesta segunda-feira (29) oficializa o concurso para servidores do órgão ambiental, com 61 vagas para analistas e 110 de técnicos

Notícias
29 de novembro de 2021

Conama volta a debater proposta que restringe cadastro de entidades ambientalistas

As alterações propostas aumentam a burocracia e diminuem a ampla participação das entidades ambientalistas no Conama. Organizações socioambientais pedem pela rejeição do projeto

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta