Salada Verde

Sérgio Brant anuncia o seu time no ICMBio

Após assumir a Diretoria de Criação e Manejo de UCs, Brant confirma equipe, que trabalhará em período sob ameaça de mudanças na Lei do SNUC.

Redação ((o))eco ·
6 de maio de 2014 · 7 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Parque Nacional de Brasilia. Foto:
Parque Nacional de Brasilia. Foto:

((o))eco conversou hoje (06) com Sérgio Brant Rocha, que acabou de assumir a Diretoria de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do ICMBio, em substituição a Giovanna Palazzi.

Brant confirmou que já formou sua equipe. Na Coordenação Geral de Criação e Planos de Manejo, entra Lilian Mitiko Hangae, que estava lotada na Estação Ecológica Tupinambás. A Coordenação Geral de Proteção Ambiental será ocupada por Daniel Rios, até então no Parque Nacional das Sempre Vivas. Completa o trio, Fábio de Jesus, que virá do Parque Nacional de Brasília para a Coordenação Geral de Visitação.

Esse time não trabalhará durante um período fácil. Após a mudança do Código Florestal, a movimentação no Congresso indica que a chamada bancada ruralista quer flexibilizar a Lei do Snuc, e levar à frente ações como reabrir a Estrada do Colono, no Parque Nacional de Iguaçu e permitir mineração dentro de Parques Nacionais.

 

Leia também
Mudança no primeiro escalão do ICMBio

 

 

 

Leia também

Notícias
20 de outubro de 2021

Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

Somente em setembro foram destruídos 1.224 km² de floresta, área equivalente a mais de 4 mil campos de futebol por dia. Números sãos os maiores em 10 anos

Salada Verde
20 de outubro de 2021

Em comemoração de seus 10 anos, Onçafari lança concurso de fotografia

Fotógrafos profissionais e amadores podem se inscrever até o dia 14 de novembro. Vencedores terão a oportunidade de fotografar a fauna e flora existentes na sede da Onçafari, no Pantanal

Notícias
20 de outubro de 2021

INPE não tem recursos garantidos para pagamento de água e luz até final do ano

Destinação de R$ 5 milhões pela AEB deu um respiro ao Instituto, mas órgão ainda aguarda verba de outras fontes para honrar despesas de funcionamento até dezembro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta