Salada Verde

Lançada petição para frear matança de animais em estrada

Mais de 20 mil animais são atropelados, todo ano, na estrada que corta a Reserva Biológica de Sooretama. Dessa vez, uma onça parda foi morta.

Redação ((o))eco ·
11 de março de 2015 · 7 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Onça foi atropelada ao tentar atravessar a pista. Foto: Instituto Últimos Refúgios/Facebook.
Onça foi atropelada ao tentar atravessar a pista. Foto: Instituto Últimos Refúgios/Facebook.

Na manhã deste sábado (07) uma onça parda (Puma concolor) foi morta ao tentar atravessa a BR 101, no trecho em que a estrada corta a Reserva Biológica de Sooretama, situada no norte do Espírito Santo. Um vídeo foi feito e uma petição online iniciada para que imagens como esta que ilustra a matéria não volte a se repetir.

Segundo os pesquisadores do Instituto Últimos Refúgios, que lidera a campanha em prol de reajustes na estrada, cerca de 20 mil animais são mortos todos os anos nesse trecho de 25 km da estrada que corta duas áreas protegidas, a Reserva Biológica de Sooretama e a Reserva Natural Vale, além de ser próxima das Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) Mutum Preto e Recanto das Antas.

A petição online no Avaaz será entregue ao Ministério Público. O pedido é para que mudanças sejam feitas na estrada, como:

  • Reduzir a velocidade da via para 60 km/h em todo o trecho de 25km;
  • Instalar radares de trecho inteligentes que registram e monitoram a velocidade dos veículos;
  • Desobstruir os túneis de drenagem de água sob a pista que podem servir como passagem de fauna;
  • Fazer o cercamento da via de forma direcional para os túneis;
  • Retirar as árvores frutíferas exóticas das margens da estrada (mangueiras e jaqueiras, por exemplo);
  • Colocar placas temáticas de advertência e educativas no trecho;
  • Instalar passagens de estrato arbóreo (passagens aéreas) para travessia de animais arborícolas (macacos e bicho-preguiça, por exemplo);
  • Retirar o lixo das florestas e corpos d’água no entorno na rodovia;
  • Promover ações de sensibilização dos usuários da rodovia;
  • Disciplinar o uso da via pela comunidade e empreendedores locais.

Em novembro, os pesquisadores Aureo Banhos, Andressa Gatti, Marcelo Renan de Deus Santos e Leonardo Merçon, o último presidente do Instituto Últimos Refúgios, publicaram uma coluna aqui em ((o))eco denunciando a matança na estrada, que passa por estudo de impacto ambiental para permitir a expansão e duplicação da pista.

De lá pra cá, nada mudou.

 

 

Saiba Mais
Petição Online – em Prol de medidas emergenciais contra atropelamentos de animais silvestres na Reserva Biológica de Sooretama e Reserva Natural Vale.
Vídeo uma estrada no camino da onça

Leia Também
BR-101, uma ameaça ao refúgio dos animais da mata    
O pesquisador que quer salvar animais com um celular    
Atropelamento de fauna: desastre ambiental fácil de evitar    

 

 

 

Leia também

Reportagens
17 de maio de 2022

Amazônia tem mais de 425 mil famílias sem energia elétrica

Brasil avança na universalização da energia, mas população de áreas remotas da Amazônia ainda demandam acesso à eletricidade. Pandemia atrasou cronograma

Notícias
17 de maio de 2022

Para beneficiar pecuária, Acre reduz em até 80% imposto sobre comercialização de gado

ICMS a ser pago por pecuaristas acreanos cai de 12% para 2,4% na venda para alguns estados. Medida pode resultar em mais desmatamento, diz pesquisadora

Análises
17 de maio de 2022

Oportunidades e desafios para a implementação do Código Florestal brasileiro

A lentidão na implementação do Código Florestal representa o desperdício de uma valiosa oportunidade de transformar o uso da terra no Brasil

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta