Salada Verde

Arara-azul-de-lear é resgatada na Bahia

A ave foi avistada no município baiano de Euclides da Cunha. Animal sofreu um aumento do volume da articulação na asa direita, mas sem ferimentos

Sabrina Rodrigues ·
19 de outubro de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) foi resgatada de área aberta no município de Euclides da Cunha, na Bahia. Foto: Adriana Alves.
Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) foi resgatada de área aberta no município de Euclides da Cunha, na Bahia. Foto: Adriana Alves.

No início desse mês, ocorreu o resgate de uma arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) numa área aberta do município de Euclides da Cunha, na Bahia. Ao avistar a ave, a população local acionou o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que por sua vez, solicitou ao Centro de Conservação e Manejo da Fauna da Caatinga (Cemafauna) que fizesse o resgate do animal.

A ave foi retirada do local e levada até o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do Cemafauna. No local, a arara-azul-de-lear passou por exames e foi observado que ela sofreu um aumento do volume da articulação na asa direita, mas sem ferimentos.

No dia 10, a arara-azul-de-lear foi enviada ao criadouro científico Fazenda Cachoeira, responsável pela conservação de espécies de aves ameaçadas de extinção, com o objetivo de reintroduzi-las à natureza.

A arara-azul-de-lear é uma espécie endêmica da Caatinga, e só ocorre no nordeste da Bahia. Ela se encontra ameaçada de extinção. Pela classificação da IUCN, ela está como em perigo (Endangered). Entre as principais ameaças a arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) estão a destruição de hábitat e a captura para comércio ilegal. Esta espécie se alimenta principalmente de coquinhos da palmeira licuri (Syagrus coronata), cuja disponibilidade vem sendo reduzida pela atividade humana.

Leia Também

Araras-azuis-de-lear estão voando para casa

O retorno das ararinhas bahianas

Filhote de arara paulistana quer voltar para a Caatinga

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
4 de maio de 2015

Filhote de arara paulistana quer voltar para a Caatinga

O primeiro filhote de arara-azul-de-lear a nascer em cativeiro na América do Sul traz esperanças para a conservação da espécie.

Notícias
6 de fevereiro de 2015

O retorno das ararinhas bahianas

As araras-azuis-de-lear têm uma população pequena, com menos de 1000 animais. Mas o sucesso da conservação parecer mudar estes número.

Análises
29 de fevereiro de 2016

Araras-azuis-de-lear estão voando para casa

Programa internacional de reprodução em cativeiro é uma das ferramentas que está tirando a espécie do caminho rápido para a extinção.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. umbrios27 diz:

    Confesso que não entendi. A arara que estava em vida livre foi resgatada do quê? O texto diz que ela tinha um aumento da articulação da asa direita, mas que não tinha ferimentos. Era um problema grande o suficiente para impedi-la de voar? Por que retirar o bicho da natureza? Não duvido que aja um motivo, mas não consegui compreender qual foi pelo texto colocado aqui.


    1. Nivaldo diz:

      Acredito que a reportagem está mal redigida e que por por isto está gerando dúvidas na interpretação , confesso que também estou com dúvidas !